Morre mais um policial militar de UPP do Complexo do Alemão

Baleado no último dia 28 de fevereiro, Wagner Vieira Cruz era lotado na unidade da Vila Cruzeiro

Por paulo.gomes

Rio - O policial militar Wagner Vieira Cruz, da UPP da Vila Cruzeiro, morreu nesta quinta-feira no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, Zona Norte do Rio. O soldado de 33 anos, que se formou em janeiro e era lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, no Complexo de Alemão, foi baleado durante ataque de traficantes, no último dia 28 de fevereiro.

Soldado Wagner Vieira Cruz estava internado desde o final do mês passado no Hospital Estadual Getúlio Vargas%2C na PenhaDivulgação

O soldado Wagner Vieira Cruz passou por diversas cirurgias e no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) desde que foi ferdo. 

Também na quinta-feira, foi morto em um ataque de traficantes o soldado Rodrigo Paes Leme, 33 anos, lotado em outra UPP do Complexo do Alemão, a de Nova Brasília. Ele levou dois tiros no peito e, apesar de estar de colete, não resistiu aos ferimentos. O sepultamento de Rodrigo será nesta sexta-feira, às 15h30, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Norte.

A filha de Rodrigo Paes Leme escreveu uma emocionante carta de despedida para o pai. A jovem de 12 anos, citou um trecho da música "Pai", de Fábio Júnior, e chamou Rodrigo de "meu herói".

"Me desculpa por ter, tantas vezes, deixado de dizer que o amava por orgulho de dizer mas, agora, eu daria tudo para poder olhar em seus olhos e dizer que eu amo você", diz a menina.

Em outro trecho, a filha do soldado chama o pai de "anjo" e declara seu amor a Rodrigo: "Sempre vou amar, porque você nunca vai deixar de ser o meu paizinho, meu super herói, minha vida. Eu te amo. Eu te amo pra sempre", encerra.

Além de Wagner Vieira e Rodrigo Paes, a PM Alda Castilho, de 22 anos, também foi assassinada após ataques de traficantes a uma base da UPP do Complexo do Alemão. A soldado estava perto do contêiner da unidade do Parque Proletário, quando foi surpreendida pelos bandidos.

Na manhã desta sexta-feira, o policiamento foi reforçado na comunidade.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia