PM está preso administrativamente por se relacionar com 'Maria UPP'

Ele foi identificado em vídeos e fotos que vazaram na Internet

Por paulo.gomes

Rio - Um policial militar já está preso administrativamente acusado de manter relações sexuais com a "Maria UPP" durante o horário de serviço. A mulher ficou conhecida na corporação por visitar as comunidades pacificadas durante as madrugadas para transar com os PMs, como mostrou reportagem do MEIA HORA publicada no último domingo. O detido, no entanto, não é lotado em nenhuma UPP e esteve com a moça numa das mudanças de roteiro feitas por ela.

A jovem conhecida como 'Maria UPP'%2C que vem se relacionando com PMs durante no horário de serviço deles%2C está sendo procurada pela políciaReprodução Internet

Reconhecido após o vazamento de um vídeo e de duas fotos nos quais o rosto dele aparece, o policial vai responder pelo artigo 2.º, inciso I, do Decreto 71.500/72 — que rege o Conselho de Disciplina da PM e determina que “praças serão submetidas a Conselho quando acusada oficialmente ou por qualquer meio lícito de comunicação social de ter: a. procedido incorretamente no desempenho do cargo; b. tido conduta irregular; c. por ter praticado ato que afete a honra pessoal, o pundonor militar ou decoro da classe”.

Procurada em postos de combustível

As investigações continuam para tentar identificar outros policiais que participaram das sessões de sexo no local e no horário de serviço. Na quarta-feira, após receberem a informação de que a mulher trabalhava como frentista durante o dia, equipes da Corregedoria da PM foram até postos de combustível na Zona Oeste do Rio atrás dela, mas não a localizaram. As buscas vão continuar nesta quinta-feira. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia