Homem que matou taxista na Barra se identificou como policial, diz parente

Rafael José Rodrigues, de 31 anos, foi morto na madrugada desta sexta, após alertar suspeito sobre blitz da Lei Seca

Por paulo.gomes

Rio - O principal suspeito de ter matado o taxista Rafael José Rodrigues, de 31 anos, em frente a casa de shows Barra Music, é um homem que se identificou como policial. Na saída do local, na madrugada desta sexta-feira, Rafael teria abordado o suspeito e avisado que uma blitz da Lei Seca estava sendo realizada perto dali e perguntado se ele não gostaria de ir de táxi. Segundo a cunhada da vítima, Keylla Araújo, o suspeito disse que ia verificar se realmente havia uma blitz. Em seguida, ele voltou com uma arma e atirou no taxista. "Ele disse: 'Tá querendo brincar com a polícia?' Foi quando ele matou o Rafael", contou.

O taxista Rafael José Rodrigues%2C que era casado e tinha três filhos pequenos%2C completou 31 anos no último dia 28 de abrilReprodução Internet

Rafael era casado e tinha três filhos. Keylla descreveu o taxista como uma pessoa trabalhadora, que vivia em função do bem estar da família. "Ele sempre foi muito família e não podia ficar saindo e deixando a esposa sozinha com as crianças. De quinta a domingo ele procurava trabalhar de táxi executivo para levar mais dinheiro para casa", diz a cunhada.

Após efetuar os disparos, o suspeito fugiu num Honda Civic preto. O corpo de Rafael foi levado para Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra. Em nota, a casa de shows disse estar contribuindo para a solução do caso. A Divisão de Homicídios procura por imagens de câmeras de segurança da Barra Music e de prédios vizinhos para tentar identificar o autor dos disparos.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia