Policiais prendem acusado de matar professor de Educação Física na Tijuca

Marco Antônio de Castro Lira, conhecido como Marquinho, de 19 anos, tinha sido reconhecido pela DH por imagens de um circuito de segurança

Por marcello.victor

Marco Antônio Castro de Lira%2C de 19 anos%2C é suspeito de matar professor de educação físicaDivulgação

Rio - Policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Jacarezinho prenderam no fim da noite deste sábado, na Favela do Rato Molhado, no Engenho Novo, Marco Antônio de Castro Lira, conhecido como Marquinho, de 19 anos. Ele é apontado pela polícia como o responsável pelo disparo que matou o professor de Educação Física Silvio Jose Correa Travancas, de 51 anos, no dia 7 de abril, na Rua Barão de Mesquita, na Tijuca, Zona Norte do Rio. Uma granada chegou a ser lançada por traficantes contra os PMs, mas não explodiu.

Segundo os policiais da UPP, eles realizaram uma incursão na comunidade por volta das 23h. O local fica próximo ao prédio da Oi, desocupado pela PM em abril, por determinação da Justiça, e que era ocupado por cerca de 5 mil pessoas e que ficou conhecido como "Favela da Telerj". Em uma boca-de-fumo na localidade conhecida como Beco do Pitbull, próximo a sede da associação de moradores da comunidade, os policiais prenderam Marco em flagrante com um revólver calibre 32 municiado. No mesmo local foi preso Jekson Tomás de Melo, 22, com um radiotransmissor.

Quando levavam os presos para a 25ª DP (Rocha), os PMs disseram que foram hostilizados por parte dos moradores, contrário as prisões. Traficantes também dispararam contra os policiais. Uma granada foi lançada na Rua Dois de Maio, mas não explodiu. O artefato teve que ser detonado por agentes do Esquadrão Anti-Bombas. Agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) deram apoio a ação. A via ficou fechada por cerca de 40 minutos para a detonação.

Marco foi autuado por porte ilegal de arma e Jekson por associação para o tráfico. O primeiro deve ser transferido para a Divisão de Homicídios neste domingo, responsável pela investigação da morte do professor. O segundo já tinha passagem pela polícia por roubo.

Marco Antonio havia sido preso em flagrante três dias antes da morte do professor pelo crime de receptação. Na ocasião, ele pagou fiança e foi liberado. Contra ele havia sido expedido um mandado de prisão temporária pelo crime de latrocínio.

A Polícia Civil também já havia identificado o outro suspeito da morte do professor. Thiago da Silva Pinto, o Peixe Bunda, de 26 anos, é morador da comunidade do Rato Molhado. Ele é foragido do sistema penal desde 25 de janeiro deste ano. Ele tem três condenações por roubo: uma em 2007 e as outras duas em 2009. Contra o acusado há dois mandados de prisão em aberto expedidos pela Vara de Execuções Penais da Capital.

O professor Silvio José caminhava em direção à academia onde trabalhava, na Rua Barão de Mesquita, quando foi abordado por dois homens que queriam roubar o cordão dele. Na ocasião, uma manifestação pedindo paz na Tijuca foi organizada pela internet.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia