Estações da Linha 4, São Conrado e Nossa Senhora da Paz foram 100% escavadas

Já foram colocados 9, 3 quilômetros de trilhos

Por thiago.antunes

Rio - As obras da Linha 4 do metrô avançam em ritmo acelerado e os túneis e as estações começam a ganhar a forma que os passageiros verão no trajeto entre a Barra da Tijuca e Ipanema, que será feito em 15 minutos a partir de 2016. A Nossa Senhora da Paz é a estação mais adiantada e está com a base praticamente pronta, faltando só o acabamento. Além dela, a São Conrado já foi totalmente escavada também.

Linha 4 ganha formaAndré Mourão / Agência O Dia

A equipe do DIA percorreu nesta sexta-feira, de carro e a pé, partes do trajeto de 16 km e visitou as instalações da estação da Praça Nossa Senhora da Paz. Já é possível ver onde funcionarão as bilheterias. A escada usada por visitantes para descer ao túnel q fica na mesma posição em que será instalado o acesso definitivo dos passageiros.

“A obra vai retirar 2 mil veículos por hora das ruas em momentos de pico. A partir de 2016, a circulação dos cariocas entre a Barra e a Zona Sul vai melhorar muito”, afirmou o secretário de Estado da Casa Civil, Leonardo Espíndola.

Estação Jardim Oceânico%2C na Barra%2C foi escavada embaixo d’águaAndré Mourão / Agência O Dia

Já foram construídos 9,3 mil metros de túneis e instalados 3,1 quilômetros de trilhos. As equipes estão trabalhando 24 horas por dia, divididas em três turnos.

“É incrível ver tudo o que já foi feito. Por exemplo, o trecho do bitunel entre a Barra e São Conrado é o maior entre as estações metroviárias do mundo escavado em rocha”, detalhou o subsecretário de Projetos Especiais da Casa Civil, Rodrigo Vieira. “São cinco quilômetros de extensão”,

Os trilhos no bitunel também já começaram a ser instalados. O Tatuzão, equipamento gigante que perfura os túneis em Ipanema está parado desde maio, devido ao afundamento do solo na Rua Barão da Torre, que assustou moradores.

Os reforços do solo estão em andamento e a previsão é de que a máquina reinicie o trabalho em breve e chegue à Nossa Senhora da Paz no fim do ano. A expectativa para início das operações da Linha 4 está mantida para o primeiro semestre de 2016.

Estação debaixo d'água

Na Barra, a estação Jardim Oceânico está sendo construída literalmente sob a água. De acordo com o Consórcio Construtor Rio Barra, foi necessário rebaixar o lençol freático, que fica a apenas dois metros de profundidade naquela região. Para isso, 475 bombas hidráulicas funcionam dia e noite, permitindo o trabalho no canteiro.

Para garantir a impermeabilização da estação e dos acessos de passageiros, toda a estrutura de concreto foi revestida por uma manta especial, técnica que também foi usada nas fundações do Ground Zero, edifício construído no local do World Trade Center, em Nova York.

O secretário da Casa Civil%2C Leonardo Espíndola%2C lembra que a Linha 4 vai tirar das ruas 2 mil carros por hora durante o pico André Mourão / Agência O Dia

“Esse material é internacionalmente reconhecido pela sua durabilidade e resistência à umidade e aos altos níveis de salinidade”, esclareceu Rodrigo Vieira. Após a conclusão da obra, os equipamentos serão desligados e o lençol freático subirá normalmente sem causar impacto à estação. Trabalham atualmente na construção 8,6 mil trabalhadores e o custo total das obras da Linha 4 chega ao montante de R$ 8,79 bilhões.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia