Por marlos.mendes
Publicado 22/12/2014 21:55 | Atualizado 22/12/2014 21:59
Comunicado afixado na estação avisa que Plano Inclinado para de funcionar para festa dos funcionáriosDivulgação

Rio - Uma festa de confraternização transformou o dia dos moradores da favela Santa Marta, em Botafogo, num inferno. Sem ter como acessar o Plano Inclinado, que passou esta segunda-feira fechado por conta do encontro dos funcionários, o jeito foi subir os mais de 500 degraus da escadaria entre o pé e o topo da comunidade.

O guia Thiago Firmino diz que quase perdeu um tour com turistas por causa do problema e do calor sufocante que fez no Rio. Thiago estava revoltado com o que considera descaso da empresa que administra o transporte. "Já imaginou se os ônibus parassem de circular pela cidade para uma festa de confraternização? Seria um caos. É um absurdo", lamentou.

Em sua página no Facebook, dezenas de moradores se manifestaram contra a medida, que consideram discriminatória. Muitos falavam em fazer uma manifestação.

De acordo com comunicado da empresa afixado na entrada da estação, haverá outras restrições nos dias 24, 25 e 31 de dezembro, além de 1º de janeiro.

O guia disse que sua mãe foi uma das que enfrentou dificuldades para subir a comunidade. Segundo Thiago, ela teve de ir à ABBR, no Jardim Botânico, para mais uma sessão de fisioterapia que está fazendo. E sem ter o bonde na hora de voltar, levou quase uma hora subindo a escadaria. O Santa Marta é uma das favelas mais íngremes do Rio. "Tudo bem, a gente entende que tem de haver confraternização. Mas poxa, durante todo o dia? Todo ano é a mesma coisa", reclamou.

Um grupo de turistas que fez o tour com Thiago não conseguiu descer a escadaria, exaustos por causa do forte calor que fez na cidade. Thiago teve de leva-los de volta ao pé da comunidade, na Rua São Clemente, de carro, pela estrada que liga a sede da UPP, no topo do morro, a Laranjeiras. "Foram três viagens. O bonde é transporte público!", concluiu.

Você pode gostar