Por bianca.lobianco

Rio - O pastor Marcos Pereira da Silva, líder da Igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias, foi colocado em liberdade nesta quarta-feira após a Justiça acolher um pedido de habeas corpus. A informação é da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). Ele foi condenado a 15 anos de prisão por estupro pela 2ª Vara Criminal de São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

Amigos e parentes do pastor Marcos Pereira comemoraram a saída do religioso pelas redes sociais. Em fotos publicadas pelo cantor Waguinho em seu perfil no Instagram, ele aparece sorridente dentro de um carro. Fiel da igreja fundada por Marcos - que deixou o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste -, por volta das 14h30, o pagodeiro escreveu na legenda da foto: ‘Livreeee’.

Em outra imagem, a filha do pastor Marcos, Nívea Silva, também festeja a liberdade do pai: "Liberdadeeeeeeeeeee #Deuséfiel #liberdadeeeeeeee #MeuPai #MeuPastor#GloriaaaaaaDeusssssss foi provada a inocência do homem de Deus."

Já um homem questiona a liberdade do pastor. “Glória a Deus? Esse cidadão nunca poderia ter saído da prisão”, criticou.

De acordo com os autos do processo, o crime foi cometido, no final de 2006, contra uma fiel nas dependências da igreja. “As testemunhas ouvidas relatam com firmeza como o acusado é uma pessoa manipuladora, fria, só pensa em si, utilizando-se das pessoas para satisfazer seus instintos mais primitivos e de forma promíscua, utiliza da boa fé das pessoas para enganá-las", diz a juíza Ana Helena Mota Lima Vale na sentença.

Acusado de estuprar fiéis

Quatro testemunhas do caso do pastor Marcos Pereira afirmaram ter sofrido abuso sexual por parte do religioso em depoimento na 2ª Vara Criminal, em São João de Meriti, em julho. Uma fiel, em depoimento de duas horas e meia, confirmou os fatos afirmados na denúncia e disse que tinha medo de deixar a igreja e ser morta a mando dele.

O pastor, que está preso desde o dia 8 de maio, é acusado pelo Ministério Público estadual por dois crimes de estupro e por coação. Ele estava no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste.

Você pode gostar