Disparo que atingiu menino no subúrbio partiu de comunidade próxima ao Sesi

Reconstituição concluiu que tiro saiu da Comunidade Jorge Turco, em Rocha Miranda, ou Proença Rosa, em Costa Barros

Por nicolas.satriano

Rio - Após a reconstituição da morte de Asafe Willian Costa de Ibrahim, de 9 anos, no Sesi de Guadalupe, na tarde desta quinta-feira, a Divisão de Homicídios (DH) concluiu que o disparo que atingiu o garoto no último domingo partiu da comunidade Jorge Turco, em Rocha Miranda, ou da Proença Rosa, em Costa Barros, ambas próximas ao clube. No entanto, testemunhas e parentes do menino relataram que os estampidos ouvidos momentos antes da morte de Asafe pareciam vir do Jorge Turco.

Policiais estiveram no Sesi em Honório Gurgel%2C no Subúrbio do Rio%2C para fazer reconstituição da morte de AsafeErnesto Carriço / Agência O Dia

Investigadores conseguiram imagens de câmeras do Sesi, que serão analisadas para identificar a trajetória do projétil. “As imagens mostram o momento em que Asafe foi atingido e podem indicar de onde partiu o tiro”, disse o delegado Giniton Lajes. O resultado da perícia sairá em dez dias. Já a necropsia apontará qual o calibre da bala que atingiu a criança.

Após ter a morte cerebral do menino atestada quarta-feira, a família decidiu doar os órgãos. “Achamos que é o melhor a fazer”, disse Vágner Ibraim, pai de Asafe.

Polícia faz reconstituição de disparo

A polícia fez a reconstituição da morte do menino Asafe Willian Costa Ibrahim, de 9 anos, na tarde desta quinta-feira. A criança foi atingida por uma bala perdida enquanto brincava na área de lazer do Sesi de Honório Gurgel, no Subúrbio do Rio. A criança estava internada no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia