Policiais fazem operação no Morro do Chapadão

Treze suspeitos foram presos e três apreendidos. Quase 20 escolas municipais da região não funcionaram nesta quinta

Por paulo.gomes

Rio - Cerca de 150 policiais das Delegacias de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA) e Combate às Drogas (Dcod) realizaram nesta quinta-feira uma megaoperação no Morro da Pedreira, em Costa Barros, na Zona Norte. A ação, que também contou com o apoio de agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), tinha como objetivo prender o traficante Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, chefe da quadrilha que atua na região.

Treze suspeitos foram presos e três menores apreendidos. Eles foram encontrados todos numa casa, no alto do Morro do Chapadão. Além disso, os policiais apreenderam 14 fuzis, 13 granadas e munições. Seis motos, um caminhão e quatro carros foram recuperados pelos agentes. Dois suspeitos foram mortos durante o confronto.

Pneus foram incendiados na entrada do Morro do Chapadão%2C em Costa Barros%2C para atrapalhar a entrada dos policiais na comunidadeDivulgação / WhatsApp do DIA (98762-8248)

Através do WhatsApp do DIA (98762-8248), moradores relataram uma intensa troca de tiros desde as primeiras horas da manhã. A ação também contou com o apoio de dois helicópteros blindados. Por conta da operação policial, 19 unidades da rede municipal de ensino estão com as portas fechadas. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, 2.250 alunos da Educação Infantil ficaram sem aulas nesta quinta.

Já a Secretaria de Estado de Educação afirmou que as aulas terão início apenas na próxima segunda-feira e que esta semana foi reservada para o planejamento pedagógico. No entanto, o Colégio Estadual Jornalista Rodolfo Fernandes, na Pavuna, teve de suspender suas atividades.

Na quarta-feira, policiais da 34ªDP (Bangu) prenderam sete integrantes de uma quadrilha ligada a Playboy. Os criminosos estavam envolvidos em roubos de cargas e contrabando de armas e drogas, que eram repassadas para o traficante.

Mais de dez fuzis foram apreendidos pelos policiais durante operação no Morro do Chapadão%2C em Costa BarrosDivulgação / WhatsApp do DIA (98762-8248)

Segundo o delegado Rodrigo Santoro, o roubo de cargas tem financiado a compra de armas e drogas. O cadeirante Edson Luiz de Ângelo, num carro adaptado, era o responsável por trazer as armas e drogas do Paraguai. Ele se aproveitava de sua condição para praticar o crime, justamento porque não chamava atenção. “As armas apreendidas foram compradas no Paraguai e os traficantes faziam entrar na comunidade, usando o carro do cadeirante para não levantar suspeitas”, diz.

Além do cadeirante, o grupo conta com a participação até de comerciantes para armazenarem e a venda dos produtos.

Reforço nas fronteiras

O governador Luiz Fernando Pezão afirmou ontem que quer intensificar o policiamento nas fronteiras do estado para evitar a entrada armas e drogas. Em entrevista ao canal a cabo Globo News, ele comparou a situação da criminalidade no Rio a uma “guerra”.

"Precisamos fechar a Rio-Santos, a Rio-São Paulo, a Rio-Teresópolis, a Baía de Guanabara, mas é tudo área federal. A PM não pode patrulhar rodovias federais. Por isso preciso dessa contribuição. Tenho pedido ao ministro da Justiça (José Eduardo Cardozo) para liberar 500 concursados da Polícia Rodoviária Federal para que a maior parte venha para os postos no Rio”, disse Pezão.

Ele reafirmou que não haverá cortes de verbas na área e que prevê instalação de uma delegacia no Complexo da Maré, nos moldes da Rocinha e do Alemão.

Reportagem de Daiene Mendes

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia