'Se eu beber vou matar polícia', diz 'musa do tráfico' em gravação

Natacha Marques Veras, 25 anos, é acusada de levar drogas do Complexo da Pedreira para a Rocinha e até presídios

Por tiago.frederico

Rio - Policiais da 11ª DP (Rocinha) prenderam nesta quarta-feira Nathacha Marques Veras, de 25 anos, contra quem havia mandados de prisão por tráfico de drogas e associação ao tráfico de drogas. Segundo a polícia, Natacha participava da compra de drogas nas comunidades do Complexo da Pedreira — área dominada pelo traficante Playboy, o mais procurado do Rio — e revendia, inclusive para presídios.

Escutas telefônicas foram decisivas para que a polícia chegasse a Natacha. Também conhecida como 'musa do tráfico', ela chega a dizer, a um interlocutor não identificado, em uma das gravações: "Se eu beber hoje, vou matar polícia".

Polícia prende três mulheres envolvidas com o tráfico de drogas

Contra Natacha Marques Veras, foi cumprido um mandado de prisão preventiva, expedido pela 35ª Vara Criminal da Capital, pelos crimes de tráfico de drogas e associação ao tráfico de drogas. Segundo a polícia, ela foi identificada durante as investigações que resultaram na operação Gênesis, desencadeada em setembro de 2014 e que contou com a expedição de 51 mandados de prisão.

Natacha Marques Veras, 25 anos, foi presa em operação da 11ª DP (Rocinha)Divulgação

Segundo a polícia, Natacha foi identificada durante as investigações que resultaram na operação Gênesis, desencadeada em setembro de 2014 e que contou com a expedição de 51 mandados de prisão.

Natacha Marques Veras%2C de 25 anos%2C preferia não beber para não 'matar polícia'Divulgação

As investigações também revelam que ela tinha livre trânsito junto a liderança do tráfico, e comprava eletrodomésticos e eletrônicos para os traficantes.

Durante a operação em que a mulher foi presa, policiais entraram em confronto com alguns bandidos e um homem foi morto. Ele foi levado para o hospital e não resistiu. O homem, ainda não identificado, carregava uma pistola Glock 9mm.

A conversa:

Na gravação feita pela polícia, Natacha conversa com um interlocutor não identificado

Natacha: "Estou em casa boladona".

Interlocutor: "Se eu estivesse aí, ia beber contigo hoje".

Natacha: "Se eu beber hoje, vou matar polícia. Não quero nem beber hoje".

Interlocutor: "Bagulho é tranquilidade"

Natacha: "Aham, o bagulho é esse. É tranquilidade. Tá estressante".

Interlocutor "Fuma um, fuma um!" (cigarro de maconha)

Natacha: "Estou fumando toda hora. Os moleques foram lá na rua, na Figueira, pegar um baseado agora do bom".

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia