PM baleado na cabeça no Complexo do Alemão tem morte cerebral

Policial da UPP Fazendinha, Anderson Fernandes da Cruz levou um tiro durante patrulhamento na região no sábado

Por paloma.savedra

Rio - O policial militar Anderson Fernandes da Cruz, baleado na testa no último sábado, no Complexo do Alemão, teve morte cerebral na noite desta terça-feira. O PM estava internado no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu. A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Saúde.

O cabo Anderson Fernandes da Cruz, de 34 anos, estava na corporação desde outubro de 2005 e era lotado na UPP Fazendinha desde junho do ano passado. O policial era casado e deixa uma filha, segundo informações da assessoria da corporação. 

PM Anderson Fernandes da Cruz foi baleado na testa quando fazia patrulhamento no Complexo do Alemão%2C no sábadoReprodução Internet

Segundo a PM, o policial da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) foi atingido próximo à Rua Jasmin, no complexo, por volta das 15h, quando fazia patrulhamento de rotina com outros PMs também da UPP Nova Brasília. 

Um policial, que não quis se identificar, trabalhava com Anderson na unidade e se revoltou com a morte do amigo. "Essa política de UPP é um projeto falido, no qual não temos amparo para nada. Somos largados em um local hostil, onde não querem nossa presença. Graças a Deus não estava nesse dia, pois talvez não pudesse estar falando com você", disse.

Através das redes sociais, outros amigos lamentavam a perda de Anderson. "Hoje você se foi meu amigo deixando muitas saudades e um vazio que não tem tamanho mais hoje também sei que o céu está em festa pela sua chegada mais um anjo de Deus Anderson Fernandes só não tive a oportunidade de agradecer tudo que vc fez na minha vida muito obrigado por tudo descanse em PAZ AMIGO (sic)." 

No último dia 9, amigos da igreja que o policial frequentava postaram um vídeo em sua homenagem. "Negao quando nossa FÉ entra em ação nos vivemos o sobre natural e estamos vivendo isso hj ate que VC saia desse hospital (sic)", dizia o post.

Após o tiroteio, o Batalhão de Operações Especiais (BOPE) e o Grupamento AeroMóvel (GAM) foram acionados para reforçar o policiamento. Devido ao tiroteio, a circulação do Teleférico do Alemão chegou a ser suspensa por "motivos de segurança pública", de acordo com a SuperVia. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia