Com garis em greve, terceirizados realizam serviços de coleta nas ruas

Escolta particular acompanha caminhões para garantir realização do serviço. Nas ruas, lixo acumula

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - Com a paralisação dos garis, desde a 0h desta sexta-feira, o lixo começa a se acumular nas ruas da cidade. A Comlurb montou um plano de contingência para garantir que a coleta seja realizada e uma escolta acompanha os trabalhadores, deslocados de secretarias da prefeitura do Rio. No Maracanã, funcionários terceirizados da 5ª Gerência de Conservação foram convocados para trabalhar na retirada dos lixos das ruas, pois não há garis.

O clima é de apreensão, mas não há registros de confusão durante o serviço de coleta realizado nesta manhã. Segundo a Comlurb, a Zona Oeste seria a região mais afetada. Em algumas regiões, caminhões que recolhem lixo são escoltados pela polícia ou segurança particular para garantir que o serviço será realizado e impedir a atuação de grevistas que fazem piquetes.

GALERIA: Lixo se acumula nas ruas e caminhões são escoltados

Caminhões da Comlurb são escoltados para garantir recolhimento do lixo acumulado nas ruasFabio Gonçalves / Agência O Dia

De acordo com a empresa, atualmente o salário dos garis chega a R$ 2.140, somados a remuneração base (R$ 1.100), insalubridade (R$ 440) e alimentação (R$ 600). Ainda segundo a Comlurb, um plano de contingência foi implantado para evitar que os lixos se acumulem pela cidade. O número de trabalhadores em serviço é reduzido, mas não há números oficiais.

TRT-Rio determina retorno imediato dos garis ao trabalho

O Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro considerou ilegal a greve dos garis da Comlurb e concedeu liminar, na madrugada desta sexta-feira, exigindo o retorno imediato dos funcionários as suas atividades. Caso a determinação não seja cumprida, o sindicato da categoria será multado em R$ 100 mil por cada dia de paralisação.

Na decisão, o órgão da Justiça do Trabalho justifica que o objetivo é "evitar a ocorrência de danos à população do município do Rio de Janeiro." O TRT-RJ também pediu a requisição de força policial nas portas das garagens da empresa para permitir que os trabalhadores possam trabalhar sem serem intimidados pelos piquetes de grevistas.

Após garis entrarem em greve%2C lixo acumula nas ruasFabio Gonçalves / Agência O Dia

Os garis do Rio de Janeiro decidiram, em assembleia realizada na tarde desta quinta-feira, entrar em greve a partir da 0h de hoje. A decisão pode tirar das ruas os 15 mil agentes que cuidam da coleta de lixo residencial, comercial e industrial na cidade. O sindicato da categoria definiu como "uma irresponsabilidade e uma provocação da Comlurb a proposta de reajuste salarial anual de 3% (três por cento)".

“Como de hábito, o sindicato da categoria manterá os canais de comunicação com a Prefeitura do Rio de Janeiro e com a Comlurb, na esperança de que uma proposta salarial, sem provocação, possa ser avaliada pela categoria”, afirma Antonio Carlos da Silva, vice-presidente do sindicato.

Entretanto, a Comlurb contesta o posicionamento da categoria, afirmando que a decisão de paralisação aconteceu após a primeira rodada de negociações. Além do reajuste de 40% — mais o aumento pelo índice da inflação —, os garis também reivindicam o aumento do vale-refeição de R$ 20 para R$ 27.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia