Moradores de Santa Teresa pedem soluções para obras atrasadas

'Se nada for feito será uma tragédia anunciada', diz secretária de comunicação da associação de moradores do bairro

Por karilayn.areias

Rio - A Associação de Moradores e Amigos de Santa Teresa (Amast) está preocupada com o atrasos das obras dos bondes. De acordo com a secretária de comunicação da associação, Cláudia Schuch, "todo mundo que pega transporte público no bairro está com medo de uma tragédia". 

Em uma ronda por Santa Teresa, O DIA fotografou a obra, que tinha como prazo de conclusão junho do ano passado. "Estamos entrando em um período chuvoso e isso nos preocupa ainda mais. Podem acontecer acidentes. Se nada for feito será uma tragédia anunciada", disse Cláudia, apreensiva.

GALERIA: Santa Teresa tem obras atrasadas

Associação de Moradores pede providências para solucionar transtornos causados pelos atrasos das obras do bondinho de Santa TeresaDaniel Castelo Branco/ Agência O Dia

No dia 23 de maio, um ato público no Largo do Curvelo, reuniu mais de 600 pessoas que clamam por melhorias no bairro. Durante o evento, um documento com as principais reivindicações foi estipulado pelos participantes."Queremos a reabertura da Rua Almirante Alexandrino para melhorar o caos que está a região", declarou Cláudia.

Procurada pela equipe de reportagem, a Secretaria Estadual de Transportes (Setrans) afirmou que o primeiro trecho da obra (Carioca X Largo do Curvelo) deve ser entregue ainda neste mês.

Em maio deste ano, o presidente da Amast, Jacques Schwarzstein, criticou o andamento das obras, classificando-a como espécie de operação-tartaruga. A obra em Santa Teresa vai custar R$ 90 milhões. Serão 14 novos bondes, que foram adquiridos por meio de licitação pública. O estado chegou a anunciar que na Copa do Mundo o sistema já estaria operando. Agora a expectativa é para a Olimpíada.

LEIA MAIS: Marcha lenta nas obras do bonde em Santa Teresa

Prefeitura pode assumir bondes de Santa Teresa

O sistema de bondes está parado desde agosto de 2007, quando ocorreu um descarrilhamento que matou seis e deixou 57 feridos. Os freios do veículo teriam falhado, fazendo com que ele saisse dos trilhos, derrubasse um poste e tombasse numa curva


  



 


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia