Homem amarrado e agredido na Zona Oeste tinha deixado a prisão em junho

Polícia Civil tenta identificar os agressores de Daniel Jesus de Aquino, de 31 anos, que está preso na 34ªDP (Bangu)

Por paulo.gomes

Rio - Preso na 34ªDP (Bangu) após ser amarrado e espancado por populares em Senador Camará, na Zona Oeste, Daniel Jesus de Aquino, de 31 anos, ficou apenas 35 dias em liberdade. Conhecido como Daniboy, ele, que cumpriu pena até o dia 3 do mês passado no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, foi salvo na noite de quarta-feira pelos policiais do 14ºBPM (Bangu) de ser linchado após roubar o telefone celular de uma mulher. Segundo o delegado-adjunto, Renato Bezerra Carvalho, o suspeito tinha outras passagens por furto e roubo.

"Ele chegou a entrar em luta corporal com a vítima, mas conseguiu fugir. O Daniel estava há 35 dias solto do Complexo Penitenciário Gericinó, em Bangu. Ele tinha no mínimo três passagens por roubo e furto", contou.

Suspeito de assalto em Senador Camará%2C homem foi encontrado ferido e amarrado pelos policiais do 14ºBPM (Bangu) e levado para a UPA do bairroReprodução Facebook / Realengo News

De acordo com o comandante do 14ºBPM, coronel Friederick Minervini, Daniel Jesus estaria praticando furtos nas localidades Marco 7 e Pedra Branca. Após ser socorrido pelos PMs, foi medicado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Senador Camará e levado em seguida para a 34ªDP.

VEJA MAIS

Suspeito de assalto é espancado e amarrado na Zona Oeste

No Maranhão, suspeito é amarrado em poste e apanha até morrer de populares

Polícia identifica dois suspeitos de amarrar menor a poste no Flamengo

Homem é amarrado em poste em Jacarepaguá

Menor é espancado e amarrado após roubo em Campo Grande

Segundo informações da Polícia Civil, os agentes da 34ªDP estão agora tentando identificar quem foram as pessoas que agrediram o preso.

Testemunhas apoiaram agressão

Na página "Realengo News", no Facebook, testemunhas relataram o fato e apoiaram a agressão ao suspeito: "Eu vi tudo. Estava na academia quando a mulher passou gritando e todos correram pra pegar o safado. Devia ter morrido, seria menos um", diz uma mulher na rede social. Em outro post, uma pessoa falou sobre a falta de segurança na região. "Moro na Pedra Branca e essa redondeza é muito perigosa. Precisamos mesmo agir assim. Eles pensarão duas vezes em assaltar mulheres", escreveu.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia