Morte de PM em praia pode ter sido motivada por disputa dentro de milícia

Cabo Carlos Eduardo Dias foi alvejado na Reserva nesta terça-feira; ele é ex-genro de Batman, chefe da Liga da Justiça

Por paloma.savedra

Rio - O cabo da Polícia Militar Carlos Eduardo Conceição Dias, conhecido como Eduardinho, de 32 anos, foi morto a tiros na Praia da Reserva, na Zona Oeste, na manhã desta quinta-feira. O militar é ex-genro de Ricardo Teixeira da Cruz, o Batman, chefe da milícia Liga da Justiça, preso desde 2009. A Delegacia de Homicídios (DH) da Capital apura o caso. 

Dois homens em uma moto atiraram contra o PMReprodução Internet

Uma das hipóteses investigadas pela DH é de o crime ter sido motivado por uma disputa dentro da própria milícia Liga da Justiça. Atualmente, a liderança do grupo paramilitar é de Carlos Alexandre da Silva Braga, o Carlinhos Três Pontes.

Outra linha de investigação seria a de uma agressão, ocorrida em fevereiro deste ano, contra Samantha Miranda dos Santos Girão Mathias, ex-mulher do ex-vereador carioca Cristiano Girão Matias, chefe da milícia na Gardênia Azul. Ela disse, na época, que namorou durante seis meses com o cabo e, no dia 9 de fevereiro deste ano, quando registrou o caso na 16ª DP (Barra), estavam separados havia três dias. O fato aconteceu na boate 021, Barra da Tijuca.

O delegado Rivaldo Barbosa, titular da DH, disse “que é muito prematuro” apontar a motivação do crime. “Não dá para afirmar nada agora”, afirmou o policial.

O cabo já foi investigado pela Corregedoria da PM. A corporação informou que ele foi alvo de um Inquérito Policial-Militar (IPM), já arquivado, para apurar a morte do agente penitenciário Anderson Terra dos Santos, executado, em 2013, em Campo Grande. O militar seria um dos seis seguranças de Toni Ângelo Souza Aguiar, o Erótico, ex-líder da Liga da Justiça, preso no presídio federal de Catanduvas (PR). Ele ainda era investigado em outro IPM por estelionato.

PM estava acompanhado de mulher no momento do crime

O PM, que era lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Fazendinha, no Complexo do Alemão, estava acompanhado de uma mulher em um quiosque na praia quando foi alvejado por três disparos na cabeça. De acordo com a polícia, dois homens em uma moto chegaram e já efetuaram os tiros contra a vítima.

Carlos Eduardo era dono de um BMW X1%2C branco%2C ano 2011%2C avaliado em R%24 75 mil. Uma espingarda calibre 12 foi encontrada no veículo.Reprodução Internet

Quando os agentes da DH chegaram, a moça que estava com o PM já havia deixado o local. O carro dele, um BMW X1, branco, ano 2011, avaliado em R$ 75 mil, foi periciado e apresenta situação legal. Uma espingarda calibre 12 foi encontrada no veículo.

Dois chefes de milícia presos

Dois homens que comandavam duas milícias que atuam na comunidades da zonas Norte e Oeste do Rio foram presos ontem por agentes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (Draco-IE). Entre os detidos, está um ex-policial militar, conhecido pela forma cruel que tratava os moradores que contrariavam determinações feitas pelo seu bando.

O ex-PM Roberto Ramos dos Santos Junior, o Betinho, é apontado como líder do grupo paramilitar na Vila Sapê, em Curicica, Jacarepaguá. O ex-militar, preso em um bar com duas pistolas, foi expulso da corporação em 2009, após ser apontado como líder de milícia.

Já Edmilson Gomes, conhecido como Junior Macaquinho, é acusado de chefiar a milícia que age em Campinho e Fubá, na Zona Norte.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia