Mais Lidas

Quatro PMs são baleados no Estado em menos de 48 horas após Ano Novo

Crimes aconteceram em Niterói, Maricá e Lins. Um PM está em estado grave

Por rafael.souza

Rio - E 2016 não começou bem para a Polícia Militar do Rio. Em pouco menos de 48 horas, quatro policiais foram baleados, no estado, em circunstâncias diferentes. Entre os casos mais grave, está o do sargento Vantuir Nascimento da Silva, 43 anos, que  foi atingido por quatro tiros, no queixo, peito mão e abdômem, durante tentativa de a posto de gasolina na entrada de Ponta Negra, na Rodovia RJ 106, Maricá, na região metropolitana do Rio, nesta madrugada.

O agente passou por uma cirurgia no Hospital Conde Modesto Leal, em Maricá e  transferido de helicóptero para o Hospital Central da PM, no Estácio. Seu estado de saúde é considerado grave. O caso está sendo investigado pela 82ª DP (Maricá).

Policial foi transferido para o HCPM de helicóptero Reprodução Twitter

Já nos primeiros minutos do novo ano, um PM foi baleado, no primeiro ataque de bandidos registrado no ano novo. O caso aconteceu no Largo da Batalha, em Niterói. Os criminosos fizeram os disparos e fugiram a bordo de um veículo. Um policial foi atingido de raspão no braço e, segundo a PM, ele estava no Destacamento de Policiamento Ostensivo, DPO.

O segundo caso aconteceu quando um soldado da Unidade de Polícia Pacificadora do Lins de Vasconcelos, foi atingido por tiros disparados por bandidos ao amanhecer de sexta feira, quando atacaram a UPP do local. 

No final da tarde deste sábado, a vítima também foi um agente da UPP do Lins. O soldado foi baleado, por volta das 15h deste sábado, durante patrulhamento de rotina na comunidade.

Blindado foi chamado para o localFoto%3A Severino Silva / Agência O Dia

De acordo com o comando da UPP, o agente fazia uma ronda em uma localidade conhecida como Árvore Seca quando foi atingido por um tiro na perna. Ainda de acordo com o comunicado, o PM que não teve a identidade revelada, foi encaminhado para o Hospital Naval Marcílio Dias e, em seguida, transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Ele passa bem.

Procuradas, a Secretaria de Segurança Pública e a Polícia Militar não souberam informar quando os órgãos farão um balanço com os dados de PMs baleados no estado.

Reportagem de Rafael Nascimento


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia