Copos descartáveis de plástico comum ficarão fora de festas tradicionais de Petrópolis

A ideia é incentivar os consumidores a usarem copos retornáveis ou feitos de materiais sustentáveis

Por O Dia

A nova lei deve entrar em vigor já em 2020 e promete trazer benefícios ao dia a dia da cidade
A nova lei deve entrar em vigor já em 2020 e promete trazer benefícios ao dia a dia da cidade -
Petrópolis - Copos descartáveis de plástico comum devem ficar fora de alguns dos principais eventos do calendário de Petrópolis a partir de 2020. A cidade, que vem tentando multiplicar ações de estímulo à sustentabilidade, será pioneira no trabalho. A ideia é incentivar os consumidores a usarem copos retornáveis ou feitos de materiais sustentáveis, que poderão ser oferecidos pelos vendedores ou até levados pelos próprios consumidores.

A proibição, prevista em Projeto de Lei promulgado na última sexta-feira pela Câmara Municipal, vale a partir da Bauernfest, tradicional Festa do Colono Alemão realizada anualmente no mês de junho. "É claro que o fim do uso de copos plásticos comuns não vai resolver os problemas, mas precisamos provocar essa reflexão. Já temos na cidade exemplos de eventos de sucesso que apostam nos copos retornáveis. O consumidor paga um valor pelo copo, o utiliza durante todo o período em que estiver no local e, antes de ir embora, pode optar por devolver o copo e receber seu dinheiro de volta. Quem preferir também pode ficar com o copo e levá-lo como souvenir", exemplifica o vereador Hingo Hammes, autor da proposta no Legislativo. "Tenho um filho e, cada vez mais, vejo que temos, sim, que trabalhar para mudar nossos hábitos, pelo futuro das nossas crianças. E é muito difícil mudar nosso comportamento. Mais do que vetar o uso de copos descartáveis não biodegradáveis, queremos fazer as pessoas pensarem. O que estamos fazendo pelo futuro dos nossos filhos, dos nossos netos? Se cada um fizer um pouquinho, veremos grandes resultados", explicou.

A Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos (ABRELPE) estima que são consumidos, no Brasil, cerca de 720 milhões de copos descartáveis por dia. Isso equivale a aproximadamente 1.500 toneladas de resíduos. Grande parte dos copos de plástico descartáveis utilizados no país hoje são produzidos a partir de poliestireno, componente derivado do petróleo, uma fonte não renovável de matéria-prima. Produtos fabricados a partir desse material não são biodegradáveis e, por isso, resistem muito tempo no meio ambiente, podendo ultrapassar os 450 anos.

"O plástico é um problema hoje. Se ainda não conseguimos acabar com o uso dele, precisamos trabalhar para, ao menos, reduzir este consumo. Hoje, um grande evento na cidade, com programação durante dez dias, gera o descarte de aproximadamente 120 mil copos plásticos. É plástico que acaba misturado ao lixo comum. O que estamos fazendo é lançando um desafio a todos aqueles que participarem dos eventos: vamos buscar alternativas? Isso sem dúvida fará com que as pessoas pensem melhor e esperamos que as soluções encontradas sejam levadas também para o trabalho e a própria casa. É um trabalho, como dizem, de formiguinha. Já existem leis proibindo os canudos plásticos e as sacolas nos mercados. E aos poucos todos estão se adaptando. É preciso desestimular o consumo de materiais não sustentáveis de maneira gradativa. Com os copos estamos fazendo isso. Esperamos estimular os empresários a buscarem também outras alternativas, seja em eventos públicos ou privados, em bares ou outros estabelecimentos. Temos que pensar juntos, construir soluções", disse Hingo Hammes.

A nova lei vale, além da Bauernfest, para o Natal Imperial, Bunka-Sai, Serra Serata e exposições realizadas no Parque Municipal. Os organizadores dos eventos têm prazo de 180 dias para adequação às novas regras.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários