Estudantes da UFRJ organizam ocupação na reitoria da universidade

Obras seriam entregues em 2012, mas promessa não foi cumprida

Por bianca.lobianco

Rio - Estudantes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) decidiram ocupar a reitoria da faculdade na tarde desta sexta-feira. O ato é um protesto por conta da paralisação das obras de melhorias nos alojamentos femininos e masculinos, que deveria ter sido finalizadas em 2012. Segundo o plano diretor, 3 mil moradias seriam liberadas com o fim da reforma, no entanto, os alunos estão dormindo em barracas nos corredores dos alojamentos, vulneráveis e em condições precárias. 

Os estudantes alegam que as obras para as Olimpíadas 2016 passaram a ser prioridade. "Eles já terminaram as obras na piscina olímpica, no campo de hugb e no campo de hoquei na grama, além do laboratório de controle de dopagem", informou Thiago Rosa, líder do Movimento de Casos dos Estudantes (MCE). 

"Há pessoas que estão morando em barracas nos halls dos corredores, então vamos ocupar a reitoria que é um local bem melhor. Aqui está muito ruim até para colocar barracas", disse o estudante de Física Médica, de 25 anos. 

De acordo com a UFRJ, "a gestão atual assumiu [a obra] em julho de 2015, durante greve de técnicos, estudantes e professores, portanto, apenas ao final das paralisações, em em outubro, pode gerir plenamente a obra". Além disso, a universidade disse ainda que houve "restrições orçamentárias no período e, visando acelerar o processo, mudamos a metodologia de trabalho, fazendo modificações no Escritório Técnico da Universidade (órgão responsável por obras na UFRJ)".

Em relação ao alojamento, a universidade afirmou que a reitoria se reuniu nesta sexta-feira com a empresa responsável pela reforma do local e foi definido um novo cronograma para o projeto. A reforma está prevista para o segundo semestre deste ano.

"O atraso na obra ocorreu devido a dificuldades financeiras da universidade, situação amplamente divulgada para a comunidade universitária. Semanalmente, os estudantes são informados sobre as questões de moradia e, além disso, acabamos de formar uma comissão formada pela Reitoria, professores e estudantes para acompanhar o andamento das obras com a maior transparência possível. A assistência estudantil é nossa prioridade. Estamos envidando todos os esforços para entregar a nova ala do alojamento e buscando novas alternativas para moradia, como a construção de uma nova unidade no campus", disse, em nota.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia