Hospital Miguel Couto passa a atender doenças infectocontagiosas

Objetivo é atender turistas durante Jogos Olímpicos

Por gabriela.mattos

Rio - Uma das referências para a Olimpíada, o Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon, conta agora com três quartos de isolamento para pacientes com doenças infectocontagiosas. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os novos quartos vão atender à demanda de visitantes durante os Jogos e também podem funcionar como unidade semi-intensiva, como legado para a cidade após as competições.

Já o Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo, ganhou uma nova Emergência Pediátrica, com três consultórios, área de medicação/procedimentos com sete poltronas, áreas de internação de curta permanência com seis leitos e de espera exclusiva.A média de atendimentos pediátricos de emergência por mês na unidade é de 3,5 mil. Desde a municipalização, em janeiro, já foram investidos R$ 29,4 milhões em melhorias de estrutura e novos equipamentos no Hospital Albert Schweitzer.

O Miguel Couto ganhou ainda nova sala de trauma com capacidade para atender cinco pacientes e com ala de retaguarda com capacidade para atender mais seis pacientes. O setor também passou a ter uma área reservada para pequenos procedimentos e aparelhos específicos para atendimento de trauma, como ultrassonografia Fast e tomógrafo portátil. Para otimizar o acesso, o setor passou para o primeiro andar da unidade – anteriormente o atendimento era feito no segundo piso do hospital. Por mês, são feitos cerca de quatro mil atendimentos de emergência, sendo cerca de mil na sala de trauma.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia