Manifestantes fazem protesto contra feminicídio no Centro do Rio

Denominado de 'Ni Una Menos', ato relembrou ainda de estupro coletivo contra argentina de 16 anos

Por gabriela.mattos

Rio - Centenas de manifestantes fizeram uma passeata contra o feminicídio, no início da noite desta terça-feira, no Centro do Rio. No ato, denominado de "Ni Una Menos", as participantes relembraram do caso da argentina Lúcia Pérez, de 16 anos, que foi drogada, estuprada e morta por dois homens no último dia 15, no balneário de Mar del Plata, na Argentina. O estupro coletivo contra a jovem já havia ganhado repercussão em protestos em outros países, como no Chile, México, Peru e Bolívia.

Denominado de 'Ni Una Menos'%2C ato relembra caso de argentina que foi estuprada por dois homens Reprodução Facebook

Por volta das 18h desta terça-feira, as manifestantes saíram da Cinelândia em direção à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Além de balões de ar rosas, as mulheres levaram faixas e cartazes com frases contra o machismo. "Legaliza, o corpo é nosso, é nossa escolha, é pela vida das mulheres", cantaram durante a passeata. 

De acordo com informações do Centro de Operações do Rio, algumas vias foram interditadas no momento do ato, como as ruas da Carioca, da Assembleia e Primeiro de Março. Houve retenção no local. O trânsito chegou a ser desviado para a Rua República do Paraguai. Até o momento, não há informações sobre tumulto na região.

Manifestantes saíram da Cinelândia%2C por volta das 18h%2C em direção à AlerjReprodução Facebook


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia