Mais Lidas

'Foi negligência do hospital', acusa filho de paciente que caiu de janela

Acidente ocorreu no Hospital Getúlio Vargas no dia 30 de dezembro. Polícia investiga o caso

Por gabriela.mattos

Rio - A família de Luiz Antônio Soares, paciente que caiu de uma janela do terceiro andar do Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, afirma que ainda está sem entender o motivo do acidente. O caso ocorreu no dia 30 de dezembro. "Está todo mundo abalado, sem acreditar", lamentou o filho da vítima, Luiz Fernando dos Santos.

Ele disse que seu pai foi internado na unidade com princípio de infarto na última terça-feira. Luiz Fernando lembrou ainda que conversou com o pai na quinta-feira e que ele parecia bem de saúde. "Só depois do acidente que os funcionários do hospital disseram que ele tentou fugir duas vezes na noite de quinta. Ninguém nos avisou isso antes", destacou.

Luiz Fernando contou que, após a queda, os funcionários da unidade afirmaram que o pai queria sair logo do hospital e se recusou a fazer exames. Segundo o filho da vítima, os profissionais não colocaram no boletim de ocorrência esses detalhes.

"Por que não comunicaram à família que ele estava agitado? Por que não colocaram ninguém para vigiá-lo na sala? Ele chegou ao hospital por causa de um problema e acabou em uma tragédia dessas. Não tiveram cuidado com ele", reforçou. 

Luiz Antônio foi enterrado no último domingo, no Cemitério São Francisco Xavier, no Caju. O caso foi registrado na 22ª DP (Penha) e um inquérito foi aberto para apurar as circunstâncias da morte. As imagens do circuito de segurança já foram requisitadas.

De acordo com informações da Secretaria Estadual de Saúde (SES), a direção do Hospital Estadual Getúlio Vargas (HEGV) negou as acusações e disse que, imediatamente após a queda, contatou a família sobre o acidente. Luiz Antônio foi socorrido, mas morreu horas depois. Segundo a secretaria, a família está sendo assistida.

A direção do hospital também disse está colaborando com as investigações para esclarecer o episódio e destacou que foi aberta uma sindicância interna para apurar o caso. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia