Mais câmeras para vigiar a cidade

Prefeitura quer que aparelhos particulares sejam ligados ao Centro de Operações Rio

Por O Dia

Rio - A prefeitura quer integrar câmeras particulares de segurança ao sistema do Centro Operações Rio (COR). A informação foi dada ontem pelo secretário municipal de Ordem Pública, Paulo César Amêndola, após encontro com o presidente da Riotur, Marcelo Alves, representantes do setor hoteleiro do Rio e outros integrantes da Segurança Pública.

O objetivo da reunião foi discutir estímulos ao turismo no Rio, além de aumentar a segurança na cidade, já que esta é uma das grandes preocupações do setor hoteleiro. “Vou pedir para que as 15 inspetorias da Guarda Municipal façam um levantamento de todas as câmeras particulares que estão voltadas para as vias públicas”, afirmou Amêndola. Ele estima que o levantamento esteja pronto em 10 dias.

A GM, que já iniciou ação conjunta com a PM, pode ganhar reforçosFoto%3A Severino Silva / Agência O Dia

O secretário informou ainda que já fez o pedido junto à Secretaria Municipal de Fazenda para a convocação de pelo menos 1 mil guardas municipais aprovados no último concurso. Segundo Amêndola, a Guarda Municipal também poderá apresentar um programa semelhante ao Proeis, que permite a remuneração de policiais militares para trabalhar nas horas de folga. Neste modelo, os agentes poderiam ser pagos pelas associações hoteleiras para patrulhar as praias.

Outra possibilidade mencionada no encontro com representantes dos hotéis foi a criação, na orla da cidade, de programas semelhantes aos que existem na Lagoa, Aterro do Flamengo, Méier e Centro, que são financiados pela Fecomércio-RJ. “A questão é que esses programas são caros. Apenas no Centro Presente, a Fecomércio investe R$ 35 milhões por ano”, explicou o presidente da Associação de Hotéis do Estado do Rio, Alfredo Lopes.

Na reunião, ficou combinado ainda com a titular da Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat), Valéria Aragão, que, deste fim de semana até o Carnaval, a Polícia Civil também passará a fazer rondas preventivas em bairros de grande concentração turística, como Copacabana, Ipanema, Leblon e Centro.

Últimas de Rio De Janeiro