Mais Lidas

MP e Corregedoria da PM fazem operação contra fraude no Fuspom

Eles estão entre os 11 denunciados na Operação Carcinoma. Segundo o órgão, novas fraudes chegam a R$ 4,5 milhões

Por gabriela.mattos

Rio - O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ), a Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança e a Corregedoria da Polícia Militar cumprem, nesta sexta-feira, sete mandados de prisão preventiva contra oficiais da corporação. Eles estão entre os 11 denunciados na 5ª fase da operação Carcinoma. 

De acordo com o MP, o grupo é acusado de fraudar contratos do Fundo de Saúde da Polícia Militar (Fuspom) com a empresa Gama Med para compra de medicamentos e insumos, e com a empresa Comercial Feruma para a compra de roupas hospitalares para o Hospital Central da PMERJ e para o hospital da corporação em Niterói. Ao todo, segundo o órgão, as novas fraudes chegam a cerca de R$ 4,5 milhões.

Entre os denunciados que tiveram novo pedido de prisão preventiva decretada estão o coronel Ricardo Coutinho Pacheco, ex-chefe do Estado-Maior Geral Administrativo da PMERJ; e o coronel Kleber dos Santos Martins, ex-diretor geral de Administração e Finanças. Os dois já foram presos em dezembro de 2015, na primeira fase da operação. 

Além disso, a capitã Luciana Rosas Franklin, ex-chefe da Central Médica de Material Hospitalar do HCPM e do HPM - Niterói; o subtenente e ex-auxiliar administrativo da P4 do HPM-Niterói, Marcelo Olimpio de Almeida; o tenente coronel Marcelo de Almeida Carneiro; o capitão Edson da Silva; e o tenente João Jorge de Souza também tiveram a prisão preventiva decretada.

Todos foram denunciados no âmbito militar por corrupção passiva e peculato. A operação está ocorrendo na capital, em Niterói e São João de Meriti, Baixada Fluminense. O coronel Décio Almeida da Silva; ex-gestor da Diretoria Geral de Saúde da PMERJ; o  major Helson Sebastião Barboza dos Prazeres; o major Sergio Ferreira de Oliveira e o major Delvo Nicodemos Noronha Junior também foram denunciados.

Em relação à Gama Med são denunciados por fazer parte do esquema o coronel Armando Porto Carreiro de Souza, ex-diretor do Hospital Central da Polícia Militar; o coronel Décio Almeida da Silva, novamente; a major Andreia Carneiro Ramos, ex-chefe da Central de Material Médico Hospitalar (CMMH) do HCPM; e a capitã Márcia Rezende Dourado Azevedo, enfermeira da CMMH do HCPM.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia