Rio sem combustível

Exército e PM escoltam saída de caminhões-tanque da Refinaria Duque de Caxias, mas só para manter serviços essenciais. Caminhoneiros continuam no local

Por O Dia

Na Rodovia Washington Luiz, em Caxias, caminhões ocuparam a faixa lateral próximo à Reduc, mas houve interdição total em alguns momentos
Na Rodovia Washington Luiz, em Caxias, caminhões ocuparam a faixa lateral próximo à Reduc, mas houve interdição total em alguns momentos -

Rio - O combustível acabou no Rio. Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do município (Sindcomb), os postos da cidade não tem mais gasolina, álcool e diesel desde a noite de ontem. A conclusão da associação dos postos veio por amostragem. O Sindcomb vistoriou estabelecimentos em várias regiões da cidade e não achou uma gota nas bombas.

Por causa da falta de combustível, hoje, o sistema de transporte público vai reduzir as frotas ainda mais, exemplo dos ônibus, ou simplesmente não vai operar, caso das Barcas Rio-Niterói.

Sem combustível nos postos, as Forças Armadas foram buscar o precioso líquido direto na fonte. Uma tropa da Polícia do Exército esteve, à tarde, na Refinaria Duque de Caxias (Reduc), na Baixada Fluminense, e saiu de lá escoltando um caminhão-tanque. Os militares alegaram que o combustível será usado em serviços essenciais, entre os quais, encher o tanque dos carros da Polícia e Exército. Outros caminhões-tanques foram vistos saindo da Reduc, mas, escoltados por viaturas da PM. A Petrobras não se pronunciou sobre a ida do Exército à refinaria. A Associação Nacional das Distribuidores de Combustíveis informou que as carretas estão saindo escoltadas de diversas bases do país, entre elas a de Caxias, na Baixada. A entidade assegurou que as distribuidoras estão prontas para retomar o abastecimento ao mercado tão logo as vias sejam liberadas e a segurança das operações esteja garantida. Mas, advertiu que o abastecimento pleno do mercado levará alguns dias para ser normalizado.

Enquanto isso, os postos cariocas só oferecem Gás Natural Veicular (GNV). Mesmo assim o motorista deve se preparar para perder tempo na fila. Que o diga Felipe Rodrigues, 56, cujo carro teve pane seca no Flamengo. Ele e as caronas tiveram que empurrar o Logan até o posto da Cruz Vermelha, para abastecer com GNV.

Ontem à tarde já era raro encontrar combustíveis líquidos. A reportagem do DIA percorreu diversos bairros da Zona Oeste do Rio, como Santa Cruz, Realengo, Bangu e Santíssimo, só encontrando um posto com gasolina disponível em Campo Grande. No local, além das longas filas de carros, foi flagrada a venda de combustível em galões, prática ilegal. O último posto com gasolina foi o Ipiranga, da Praça da Bandeira, que é recordista de bicos (76).

Apesar de o Presidente Michel Temer ter anunciado na TV que determinara às Forças Armadas que desbloqueassem as rodovias e acessos às distribuidoras e refinarias de combustível, centenas de caminhoneiros autônomos continuavam ocupando, até a noite de ontem, a pista lateral da Washington Luís, sentido Petrópolis, bloqueando a chegada à Reduc. A manifestação era acompanhada de perto por policiais rodoviários federais e PMs. "Não temos compromisso com o acordo feito com o Governo. O movimento do povo e vai continuar", afirmou o caçambeiro Francisco Jose, o Chicão.

Confira os serviços suspensos

A falta de combustível altera o funcionamento de toda a Região Metropolitana. O BRT suspendeu o funcionamento entre a meia-noite e as 4h de hoje, quando volta a funcionar parcialmente. O trecho Madureira-Galeão do Transcarioca permanece fechado, assim com as estações da Cesário de Mello, do Transoeste. As empresas de ônibus do município do Rio informaram que operaram ontem com 52% da frota, simular à média do estado.

Hoje, não vai haver coleta de lixo em São Gonçalo. No Rio, a Comlurb informou que conseguiu combustível até amanhã. Na Baixada, a prefeitura de Belford Roxo informou que não tem mais combustível para veículos municipais.

O município de Itaboraí cancelou as aulas da rede municipal na segunda por falta de merenda. Já Nova Iguaçu informou que só tem merenda nas escolas municipais até segunda.

A greve dos caminhoneiros também motivou o adiamento do Exame de Ordem Unificado da OAB, marcado para domingo. A prova foi reagendada para o dia 10 de junho.

Galeria de Fotos

Na Rodovia Washington Luiz, em Caxias, caminhões ocuparam a faixa lateral próximo à Reduc, mas houve interdição total em alguns momentos AFP PHOTO / MAURO PIMENTEL
Com menos ônibus, eram longas as filas para voltar para casa no Terminal Américo Fontenelle, que tem saídas para a Baixada Fernanda Dias
Agentes da PRF acompanham o protesto de caminhoneiros na Reduc Foto: Daniel Castelo Branco
PARALISAÇÃO CABEÇA NOVA ARTE
Em posto de Campo Grande, frentista enche galão, que é ilegal Maíra Coelho / Agência O Dia

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro