O estudante Gustavo preza por descansos intercalados. Assim conquistou o 21° lugar em simulado, entre 8.397 alunos
 - Francisco Edson Alves
O estudante Gustavo preza por descansos intercalados. Assim conquistou o 21° lugar em simulado, entre 8.397 alunos Francisco Edson Alves
Por FRANCISCO EDSON ALVES

Rio - Guardar na cabeça conhecimentos adquiridos ao longo da preparação para o Enem sempre foi sinônimo de dor de cabeça para muitos estudantes. Para auxiliar os candidatos que têm essa dificuldade, o que é normal por conta da grande carga de disciplinas, o DIA ouviu professores e alunos sobre técnicas para memorização, que envolvem até explanação do conteúdo aprendido em sala de aula com amigos e parentes.

Seja qual for o método para fixar os assuntos desde as tradicionais anotações em murais pelo quarto e leitura em voz alta, até o uso de podcast (publicação multimídia) e videoaulas, o que importa é ter foco. "O importante é tirar boas notas, pois a maratona de estudos começa a avançar", destacou o professor do QG do Enem, Eduardo Galves.

Ele cita algumas das principais e mais eficazes técnicas para adquirir conhecimentos, usadas por pesquisadores, como Willian Glasser, consideradas mais proveitosas que apenas leitura e escuta. "Ensinar o que aprendeu a outra pessoa tem 95% de eficiência, conforme estudos, pois aciona uma área do cérebro responsável pela memória a longo prazo. A prática constante de revisões, exercícios, interpretações e escrita, retém até 80% do que foi assimilado", revelou Eduardo.

Professor do QG do Enem, Eduardo Galves destaca a importância de ensinar o que aprendeu a colegas - Divulgação

Discutir o que aprendeu com amigos e parentes, fazendo com que o aluno aprofunde indiretamente o conteúdo da disciplina, identificando e esclarecendo dúvidas, também proporciona até 70% de fixação de conteúdo na memória. "Já as ações de ver, ouvir e escrever podem propiciar até 50% de armazenamento de saberes, contra 10% percebidos se apenas o aluno lê ou ouve o que está sendo estudado", afirmou Galves, que no dia 9 ministrará aulão sobre a 'Importância do Planejamento para Otimizar Estudos', às 19h, com transmissão ao vivo e gratuita pela web (para assistir basta acessar www.aluno.enem.com.br).

"A aula vai abordar dicas de como o aluno pode se tornar um estudante melhor. Faltando apenas quatro meses para o Enem, é muito importante que o estudante se organize. Ele precisa saber quantas semana de estudo ele tem, quantas horas líquidas de estudos semanais, forma de memorização, entre outros aspectos. Para isso é importante montar uma boa agenda e um bom planejamento", comentou o professor do QG.

A tradicional utilização de fichas para separar assuntos é indicada por Sami Jomaa, pedagogo e físico licenciado pelo Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP), e professor de Ensino Médio. "O fichamento de conteúdos como forma de memorização é amplamente indicado para matérias de humanas, por exemplo. Facilita na hora do estudo, pois concentra assuntos em comum e em um só lugar".

MÉTODOS DE FIXAÇÃO DE CONTEÚDO PARA O ENEM
Publicidade
Postura - Sente-se na cadeira em posição ereta. Isso é fundamental para aumentar o foco, a concentração e evitar dispersão do pensamento. Foco é primeiro passo para o acesso à memória.
Guia - Use os dedos das mãos (direita para destros ou esquerda para canhotos) para guiar os olhos nas leituras em geral. O uso de um guia aumenta a velocidade e melhora a concentração.
Publicidade
Texto - No caso de interpretação de texto, leia primeiro as perguntas antes do conteúdo. O cérebro age como um site de busca. Dessa forma, as respostas começarão a pular na sua frente.
Podcast - Essa ferramenta, seja por meio de áudio, vídeo ou texto escrito, é válida. Dá para ouvir no ônibus ou enquanto está fazendo alguma atividade em casa.
Publicidade
Voz alta - Ler em voz alta é um exercício antigo e útil. Além de visualizar textos, também se escuta o conteúdo. Ou seja, são dois métodos de memorização em um só.
Audiolivro - Recorrer a obras literárias em formato de áudios pode otimizar muito o tempo de estudo dos estudantes no dia a dia, assim como torná-lo menos monótono.
Publicidade
Desenhos - Uma boa forma de esmiuçar matérias é montando gráficos, tabelas e planilhas. Esses recursos podem fazer com que os conteúdos fiquem ainda mais claros.
Painéis - Montar painéis em cartolinas com dicas e macetes nas paredes do quarto, ajuda a fixar conteúdos. Anotações em quadro branco também reforçam informações.
Publicidade
Aprender ensinando: Uma das melhores formas de memorizar o que
se aprendeu, é ensinando a outra pessoa. Ofereça-se para ensinar o que já
sabe a quem tem dificuldade.
Dinamismo - Não se atenha a um só método de estudo. Selecione os modos de memorização de seu agrado e os utilize de acordo com o que funcionar com cada matéria.
Publicidade
Fontes: Professor Juarez Lopes, especialista em memorização, técnicas de estudos e leitura dinâmica, e site www.prouniversidade.com.br.
Publicidade
Os segredos do sucesso
Gustavo Nunes Oliveira, de 17 anos, aluno do 3° ano do Ensino Médio do Colégio Garra, revela o segredo para alcançar o primeiro lugar na sua escola e a 21ª colocação no simulado Prepara Avaliações, entre 8.397 estudantes, na semana passada.
Publicidade
"A forma mais eficaz de memorização de conteúdo é não estudar por muitas horas consecutivas. Uso várias técnicas a cada dia para não enjoar e procuro balancear o tempo de estudo diário com pequenos intervalos", aconselha Gustavo, que acabou virando o xodó da família e sonha em fazer Medicina.
A estudante do GPI-Ilha, Nicole Sant'Ana, 17, que quer se formar em Psicologia, afirma que garante boas notas em testes visando o Enem fazendo resumos. "Em cima deles, crio perguntas e busco as respostas. Depois, treino com meu pais e amigos. Fiz desse estilo de estudar um hábito", conta Nicole.
Publicidade
Em sites de apoio a alunos, como o Guia do Estudante, há também diversas dicas. Entre elas, grifar os trechos mais importantes ou estabelecer associações de memória. Uma das mais famosas é 'Minha Vó, Traga Meu Jantar: Sopa, Uva, Nozes e Pão'. As iniciais relembram a ordem dos planetas: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão.
Publicidade
Alunos devem estar à vontade
O professor Juarez Angelo Lopes, do Instituto de Otimização da Mente (IOM), que ensina técnicas de estudos e leitura dinâmica, recomenda que, para ativar a memória, o estudante esteja absolutamente à vontade, seguro, bem alimentado e que preste atenção nos mínimos detalhes.
Publicidade
"Inclusive no jeito de sentar, de forma ereta, sem estar desajeitado, com má postura. O estudante deve lembrar que passará várias horas na mesma posição. E o cérebro é como um site de buscas, que só é acionado quando há condições favoráveis de ambiente e paz interior. Assim, as respostas logo começarão a pular na frente do candidatos bem preparado", garante o professor Angelo Lopes.
Para a psicóloga Maria Almeida, entretanto, nenhuma técnica de memorização, por mais perfeita que pareça, jamais funcionará, se o estudante não estiver descansado mentalmente, com boas horas de sono diárias (nunca menos de 6h), e sem organização. "Objetos espalhados em casa e informações desorganizadas no cérebro são indicadores de fracasso nas provas", ensina.
Publicidade
Você pode gostar
Comentários