Tiroteios diários por causa de operações seguidas preocupam moradores do Santa Marta

Ações da PM têm acontecido desde a troca de comando da UPP local; o som alto de bailes funks na comunidade de Botafogo também incomodam moradores

Por Agência Brasil

Policiais revistando quem entra ou sai na comunidade durante operação
Policiais revistando quem entra ou sai na comunidade durante operação -

Rio - Há cerca de um mês, a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Santa Marta, em Botafogo, na Zona Sul, vem fazendo ações diárias contra o tráfico de drogas na região. As operações foram percebidas com mais intensidade nos últimos dias por causa de constantes tiroteios na comunidade.

A atuação tem acontecido semanas após a capitã Priscila da Silva Barreto ter assumido o comando da UPP. Até então, a unidade vem realizado operações diárias de varredura em toda a comunidade para acabar com os pontos de venda de drogas, principalmente na parte baixa, onde traficantes atuavam livremente.

As ações, que começam logo cedo, incluem vistorias em todas as ruas e vielas da Santa Marta à procura de pontos de venda de drogas. "As medidas são para recuperação do território" e têm o objetivo de desestabilizar a ação do tráfico", disse a presidente da Associação de Moradores e Amigos de Botafogo (Amab), Regina Chiaradia, que já se encontrou com a nova comandante da UPP.

Segundo Regina, os tiroteios diários preocupam os moradores de Botafogo, assim como os bailes funk, cujo som alto não deixa ninguém dormir. "Eles começam às 10 da noite de sexta-feira e só terminam por volta das 5h da madrugada do dia seguinte. Antes, os bailes eram realizados dentro da quadra da escola de samba, que tem acústica, mas agora são feitos no meio da rua e provocam um som ensurdecedor, além de facilitar a fuga de criminosos com a chegada da polícia", conta.

As reclamações não param de chegar à Amab, porque os tiroteios se intensificaram, acrescentou Regina. "“Hoje (segunda) foram muitos tiros por volta das 5h da madrugada. E durou mais de uma hora".

Na Rua São Clemente, fica a sede social da prefeitura do Rio, que dá fundos para a comunidade.

A comunidade próximo da sede social da Prefeitura do Rio - Estefan Radovicz / Agência O Dia

Operação

Na operação desta segunda, Polícia Militar informou que participaram tropas da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) e da UPP Santa Marta. Durante a ação, na localidade conhecida como BR, criminosos atiraram contra os policiais e houve confronto.

"Após cessarem os disparos, um criminoso foi preso com 420 papelotes de cocaína, 19 trouxinhas de maconha, 12 munições, um radiotransmissor, uma balança de precisão e um celular", a PM informou em nota.

Ainda de acordo com a corporação, a ação terminou no início da tarde, e o caso foi encaminhado para a delegacia do bairro (10ª DP).

Primeira UPP

A UPP Santa Marta foi a primeira do estado - Cesar Sales / Agência O Dia

Inaugurada em 19 de dezembro de 2008, em Botafogo, a UPP Santa Marta foi a primeira experiência do programa de aproximação entre polícia e comunidade, idealizado pela Secretaria de Segurança do Rio. A comunidade tem mais de 53 mil metros quadrados e população estimada em mais de 4 mil habitantes, de acordo com o Instituto Pereira Passos, órgão da prefeitura, com base no Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo líderes locais, a chegada do policiamento de proximidade, tido como modelo da implantação da UPP, permitiu a legalização de serviços como fornecimento de água e luz para os moradores da comunidade, que, nos anos 80, sofreram com os desmandos do tráfico de drogas.

Com a ocupação, o morro passou a receber muitos turistas, que visitavam pontos como a Laje do Michael Jackson, uma referência ao imóvel onde o cantor americano gravou um clipe nos anos 90. Uma estátua do pop star, morto em 2009, foi instalada na comunidade.

UPP local tem intensificado operações desde a troca de comando, há cerca de um mês - Estefan Radovicz / Agência O Dia

Galeria de Fotos

Policiais revistando quem entra ou sai na comunidade durante operação Estefan Radovicz / Agência O Dia
UPP local tem intensificado operações desde a troca de comando, há cerca de um mês Estefan Radovicz / Agência O Dia
Morro Dona Marta, em Botafogo, amanhece com intensa troca de tiros, segundo moradores Estefan Radovicz / Arquivo / Agência O Dia
A UPP Santa Marta foi a primeira do estado Cesar Sales / Agência O Dia

Últimas de Rio de Janeiro