Rio implanta estratégia para zerar morte materna por hemorragia

Prefeitura firma parceria para capacitação de profissionais de saúde, com apoio da OPAS

Por O Dia

Secretária municipal de Saúde, Ana Beatriz Busch, assina termo de parceria com a ABENFO-RJ e representantes de faculdades de Enfermagem
Secretária municipal de Saúde, Ana Beatriz Busch, assina termo de parceria com a ABENFO-RJ e representantes de faculdades de Enfermagem -

Rio - A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) deu início nesta terça-feira, à implantação da Estratégia Zero Mortalidade Materna por Hemorragia (0MMxH). Na ocasião foi firmada parceria com a Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras do Estado do Rio de Janeiro (ABENFO-RJ), com apoio da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), para o treinamento e disseminação na rede municipal de protocolos visando a prevenção das mortes maternas por hemorragia pós-parto.   

A parceria faz parte dos esforços da Secretaria Municipal de Saúde em reduzir a ocorrência de casos de óbitos por hemorragia pós-parto, uma das principais causas de mortalidade materna. Em 2017, dos 71 casos registrados na cidade de mortes de mulheres em idade fértil relacionados a gestação, nove ocorreram em decorrência de hemorragias ocorridas após o nascimento do bebê.  

"Essa parceria reforça a importância da prevenção e imediato tratamento da hemorragia obstétrica. Cabe à SMS integrar as ações de capacitação e estruturação da rede e garantir o acesso da população à Estratégia Zero Morte Materna por Hemorragia Pós-parto", disse a secretaria municipal de Saúde, Ana Beatriz Busch.   

O treinamento ocorrerá nos dias 17 e 18 de setembro, na Escola de Enfermagem Anna Nery (UFRJ), e será baseado em metodologia desenvolvida pela Organização Pan-Americana da Saúde e que vem sendo implantada em países latino-americanos. A SMS já tem dois tutores rm capacitação nessa metodologia e, nesta primeira turma, 30 profissionais farão o treinamento, sendo 15 médicos e 15 enfermeiras obstetras. 

 “Em pouco mais de uma década, a rede municipal do Rio passou de quatro para 12 maternidades. Hoje, fazemos cerca de 90% dos partos SUS na cidade e a hemorragia pós-parto é a causa de mortalidade materna que podemos efetivamente atacar nas maternidades. Temos muitos profissionais jovens na assistência e precisamos sempre de treinamento e capacitação para ganharmos em performance nas nossas unidades”, diz o subsecretário municipal de Atenção Hospitalar, Urgência e Emergência, Mário Lima.

 A melhoria da saúde materna é um dos oito objetivos do milênio, da Declaração do Milênio da Organização das Nações Unidas (ONU); e a redução da taxa de mortalidade materna global faz parte de um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030, também da ONU.

Últimas de Rio de Janeiro