Museu Nacional divulga lista de 1,450 milhão de itens não atingidos por incêndio

Essa parte do acervo de 20 milhões de itens estava fora do prédio bicentenário que pegou fogo no último domingo. Ofertas de outras instituições e museus, inclusive estrangeiros, estão sendo avaliadas, disse vice-diretora do Museu Nacional

Por RAFAEL NASCIMENTO

Museu Nacional após o incêndio
Museu Nacional após o incêndio -

Rio - O Museu Nacional divulgou nesta quinta-feira uma lista de parte do acervo que não estava no palácio bicentenário no momento do incêndio, no último domingo. Segundo a vice-diretora da instituição, Cristiana Serejo, 1,450 milhão de itens, aproximadamente, de um total de 20 milhões, não foram destruídos. "São coleções de botânica, vertebrados e de invertebrados, além de biblioteca com 500 mil livros de mais de 150 anos", falou Serejo.

Cristiana disse que o Museu Nacional recebeu série de ofertas de outras instituições e museus até do exterior para que o espaço volte a funcionar o mais rápido possível. A direção vai avaliar essas ofertas e onde elas serão realocadas.

Veja a lista dos objetos, em números aproximados, que escaparam do incêndio

500 mil livros (estavam na Biblioteca Central)

500 mil lotes de herbários (plantas)

100 mil mamíferos taxidermizados (preservados)

100 mil répteis

50 mil lotes de aves

50 mil lotes de peixes

150 mil lotes de invertebrados

Material recolhido nos escombros

De acordo com a vice-diretora do Museu Nacional, o material que já foi encontrado nos escombros do Museu Nacional, nos últimos dias, estão acondicionados no prédio de conservação e restauração (anexo ao museu). Segundo Serejo, os outros materiais que forem encontrados serão colocados em contêineres que deverão ser contratados após a chegada dos R$ 10 milhões do BNDES.

A expectativa da direção do Museu é que a perícia da Polícia Federal acabe no próximo domingo e que especialistas do Museu Nacional entrem no local a partir de segunda-feira. "Pesquisadores já estão organizados para quando puder entrar façamos o trabalho”, destacou Serejo. "Faremos uma escavação por partes e setorizados após um mapeamento do local. Estamos adiantando esse trabalho juntamente com especialistas. Vários órgãos foram oferecidos e esses trabalhos serão coordenados pela direção do museu”, contou. 

Últimas de Rio de Janeiro