MP denuncia Orlando de Curicica e dois milicianos por mortes em sítio

Vítimas foram assassinados em sítio em Guapimirim

Por O Dia

Rio -  O Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), denunciou à Justiça os milicianos Orlando de Oliveira de Araújo, o Orlando de Curicica; Luiz Cláudio Ferreira Barbosa, o Claudinho; e Alan de Moraes Nogueira pelas mortes de dois homens em fevereiro do ano passado. A denúncia foi proposta junto à 2ª Vara da Comarca de Guapimirim. O Gaeco também pediu que a prisão temporária dos acusados seja convertida em prisão preventiva.

Baseado em depoimentos e em investigações, os promotores informaram que as vítimas José Ricardo da Silva e Rodrigo Severo Gonçalves foram convidadas para um churrasco no sítio de Orlando, em Guapimirim, onde foram assassinados a tiros. Em seguida, por ordem de Orlando, eles foram retirados do local e levados em um carro até Brás de Pina, onde os denunciados atearam fogo no veículo com os corpos dentro.

Segundo a denúncia, José Ricardo e Rodrigo Severo foram mortos por vingança, já que Orlando suspeitaria de uma traição dos dois.

Os milicianos foram denunciados por homicídio duplamente qualificado (mediante de recurso que dificultou a defesa da vítima e por motivo torpe) e ocultação e destruição de cadáver. As penas previstas podem passar de 20 anos de prisão.

Atualmente, Orlando de Curicica está preso no Presídio Federal de Mossoró (RN). Alan cumpre prisão na Unidade Prisional de Acautelamento da PM Luis Claudio na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica.

Últimas de Rio de Janeiro