Operação resgata mais de 40 animais que sofriam maus-tratos na Zona Oeste

Mais de 40 animais, entre cães e tartarugas, que sofriam maus-tratos foram resgatados e medicamentos fora da validade eram usados. Um ninho de ratos foi encontrado em um cômodo onde era armazenado alimentos, que estavam fora da validade

Por O Dia

Animais foram resgatados por agentes da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA)
Animais foram resgatados por agentes da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) -

Rio - A Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) prendeu em flagrante o responsável por empresas e uma ONG que mantinha animais em péssimas condições na Zona Oeste do Rio, nesta terça-feira. Mais de 40 animais, entre cães e tartarugas, que sofriam maus-tratos foram resgatados pela especializada. Um ninho de ratos foi encontrado em um cômodo onde era armazenado alimentos, que estavam fora da validade, segundo a DPMA.

Na ONG, em Campo Grande, foram encontrados 17 cachorros de médio e grande porte e 18 tartarugas, espécie da fauna silvestre mantida irregularmente. Segundo o delegado Antonio Ricardo, titular da DPMA, os cães estavam em um canil em confinamento e com más condições de higiene. Na cozinha foi encontrado alimentos armazenados em contato direto com o chão, grande parte fora da data de validade, em péssimas condições de higiene e com ratos andando por todo o ambiente. 

"Dizia que fazia trabalho para reabilitar o animal, mas isso não era feito. Era uma crueldade sem fim, exerce a medicina veterinária e acaba fazendo isso, acumulando animais, os mantendo em péssimo estado de saúde. Todos os cães estavam morrendo de fome. As aves, que não conseguimos resgatar porque são muitas, se acumularam na grade quase que implorando para comer. Uma situação muito deplorável", disse o delegado Antonio Ricardo. Cadáveres de animais, que aparentavam ser um cão e uma ave, estavam dentro de um freezer desligado. 

Ninho de ratos foi encontrado em ONG que prometia cuidar de animais, mas os maltratava, segundo a DPMA - Reprodução vídeo / Divulgação

Já na em uma veterinária Valverde, em Santíssimo, foi constatado pelos agentes também maus-tratos aos animais e foi encontrada medicação vencida estocada e em uso no momento da chegada da polícia. Foram apreendidos oito cachorros de pequeno e médio porte. Um terceiro espaço, uma outra veterinária, em Campo Grande, também foi fiscalizada e não constava mais em nome do preso.

O dono dos espaços foi identificado como Leandro Valverde da Silva foi preso em flagrante. Ele responderá pelos crimes de maus-tratos, posse irregular de animais da fauna silvestre e armazenamento de medicação imprópria para uso. Ele está preso na Polinter e nesta quarta-feira terá uma audiência de custódia, que pode conceder fiança para ele responder em liberdade.

Leandro Valverde da Silva, dono dos espaços, foi preso em flagrante - Divulgação

As ONGs Paraíso dos Focinhos e 4 Patinhas ofereceram lar temporário para os cachorros apreendidos, onde receberão tratamentos veterinários e os cuidados necessários. As tartarugas foram encaminhadas para o Centro de Triagem de Animais Silvestres, do IBAMA, para tratamento e reinserção no seu habitat. As diligências foram acompanhadas por um perito do Instituto de Criminalística Carlos Eboli (ICCE).

Galeria de Fotos

Animais foram resgatados por agentes da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) Divulgação
Ninho de ratos foi encontrado em ONG que prometia cuidar de animais, mas os maltratava, segundo a DPMA Reprodução vídeo / Divulgação
Leandro Valverde da Silva, dono dos espaços, foi preso em flagrante Divulgação

Últimas de Rio de Janeiro