Entidades pedem fim de charretes de Petrópolis

OAB-RJ e ONG de Proteção e Defesa Animal firmam parceria para resgate de cavalos

Por *Caio Cardoso

Os cavalos serão levados para um santuário e darão lugar às charretes elétricas
Os cavalos serão levados para um santuário e darão lugar às charretes elétricas -

Rio - A Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OAB-RJ) e a ONG Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal entraram na briga pelo fim das 'vitórias' de Petrópolis, as tradicionais charretes que fazem passeios turísticos na Cidade Imperial. As duas entidades acabam de criar uma parceria para a futura destinação dos cavalos usados no meio de transporte. No dia 7 de outubro, junto com as eleições, haverá plebiscito para decidir se o serviço será mantido ou extinto.

No último fim de semana, o presidente da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da OAB-RJ, Reynaldo Velloso, assinou termo de parceria com a diretora da ONG Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, Elizabeth MacGregor. No documento ficam estabelecidas as responsabilidades nos resgates dos cavalos usados no transporte turístico de Petrópolis.

Ainda conforme o documento, a ONG se propõe a receber e cuidar de todos os animais utilizados nas 'vitórias'. O termo prevê também acompanhamento veterinário e a garantia de alimentação adequada aos cavalos. A Comissão da OAB-RJ, por sua vez, fará o acompanhamento técnico e jurídico.

De acordo com o presidente da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da OAB-RJ, Reynaldo Velloso, pesquisas comprovam que os animais usados como meio de transporte sofrem com o trabalho diário. Ainda segundo ele, o fim das charretes com tração animal para passeios turísticos é uma tendência mundial.

"É um martírio, o cavalo não foi feito para trabalhar oito, dez horas. Sem contar o bridão, que quando o charreteiro puxa, acaba machucando a boca, língua e dentes dos animais. Em Florença, na Itália, e no Central Park, em Nova York, também estão acabando com as charretes turísticas", argumentou Reynaldo Velloso.

*Estagiário sob supervisão de Maria Inez Magalhães

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro