Carro apelidado de 'Flintstones', com motorista pondo os pés no asfalto por buraco no piso, causa perplexidade

Chevette de São Gonçalo foi flagrado transitando pela Zona Oeste do Rio

Por FRANCISCO EDSON ALVES

'Carro dos Flintstones' foi visto circulando na Zona Oeste; motorista põe pé no asfalto
'Carro dos Flintstones' foi visto circulando na Zona Oeste; motorista põe pé no asfalto -

Rio - Um vídeo que circula nas redes sociais está deixando motoristas estarrecidos e demonstra as falhas do estado na fiscalização de veículos que circulam em péssimo estado de conservação pelo Rio. As imagens, feitas por outro motorista, no Viaduto de Campo Grande, na Zona Oeste, mostram o Chevette marrom, placa KTQ-9469, de São Gonçalo, transitando com a lataria completamente deteriorada. No momento em que o trânsito para, o condutor chega a colocar os pés no asfalto, através de um buraco no piso do automóvel.

"Se eu contar ninguém acredita. Olha lá onde está o pezinho dele!. É o carro dos Flintstones (série de televisão animada que foi exibida de 1960 a 1966 e criada por William Hanna e Joseph Barbera, que retratava o cotidiano de uma família de classe média da Idade da Pedra, cujo carro tinha os próprios pés dos passageiros como freios) no viaduto de Campo Grande. Alá o pezinho. Tá fincado no chão. Parou, descansa o pé... Quando o trânsito anda, ele tem que levantar o pé pra botar na embreagem", narrou, mal acreditando no que estava vendo, o motorista ao lado.

Pertencente a um morador de São Gonçalo, o veículo, conforme o sistema do Detran a que o DIA teve acesso, só tem uma multa pendente, de 2006, justamente por não efetuar o registro de propriedade de veículo dentro do prazo (administrativa, no valor de R$ 127,69), constando 2013 como o último ano de vistoria feira no órgão. Embora o vídeo esteja sendo motivo de chacotas na internet, especialistas no trânsito se disseram preocupados.

"Esse vídeo não é para ninguém rir e, sim, para chorar. Esse cidadão está colocando a vida dele própria, e de terceiros, em risco de morte. Era melhor se ele (o motorista do Chevette), estivesse numa charrete, onde um burro seria melhor controlado por esse irresponsável", desabafou o presidente da ONG Trânsito Amigo, Fernando Diniz. "Esse vídeo é o retrato das falhas que ainda existem na fiscalização de trânsito, que deveria fazer cumprir as leis, e da apatia de parte da população ainda resistente à mudanças de comportamento", completou Diniz, advertindo que o tripé leis, fiscalização e justiça, ainda está longe de ser cumprido integralmente.

É muito difícil acreditar nesta combinação de negligência e imprudência. A impressão que se tem é de que todo o assoalho vai cair e o condutor será projetado para o asfalto pela força da gravidade. Este motorista coloca em risco sua vida e a vida daqueles que compartilham a via pública", advertiu Fernando Moreira, especialista em Medicina de Trânsito.

Ainda na opinião de Fernando Moreira, pela aparência do veículo, 'caindo aos pedaços', certamente já estaria com graves avarias em sua estrutura em 2013, quando passou pela última vistoria no Detran. "Nenhum carro se deteriora dessa maneira de forma tão rápida, a ponto de ter um buraco no piso como demonstra o vídeo surreal", criticou.

Em nota, a diretoria do Detran informou que os veículos precisam estar em bom estado de conservação para serem aprovados na vistoria anual. "Como o último licenciamento foi em 2013, o veículo passou pelo crivo de um agente público que goza de fé pública e como foi aprovado não é possível contestar. É obvio que um veículo nesse estado não seria liberado em uma ação de fiscalização de trânsito. Cabe ressaltar a importância da vistoria anual para que essa cena não se repita", diz o texto.

Pelo parágrafo 18º do Artigo 230 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), circular com veículo em mau estado de conservação, comprometendo a segurança, ou reprovado na avaliação de inspeção de segurança e de emissão de poluentes e ruído (prevista no art. 104), equivale a infração grave. Nesse caso, o condutor deve ser punido com 5 pontos na carteira de habilitação, mais pagamento de multa de R$ 195,23.

Últimas de Rio de Janeiro