Moradora do Morro Boa Esperança diz que local já havia sido interditado

Queda de pedra provocou desmoronamento de morro e deixou 14 pessoas mortas e 11 feridas

Por O Dia

Amanda Rezende, de 20 anos. Moradora do Morro Boa Esperança diz que local já havia sido interditado -

Rio - Moradores do Morro da Boa Esperança, em Piratininga, Niterói, onde ocorreu a queda de uma pedra que destruiu casas e deixou 15 pessoas mortas e 10 feridas, afirmam que as causas da tragédia já era motivo de preocupação. 

Amanda Rezende, de 20 anos, que sobreviveu após cavar um buraco para sair dos escombros, relatou que a Prefeitura já sabia que isso podia acontecer. Ela perdeu o sobrinho Caíque, de 1 ano e 9 meses, e a avó, Madalena Rezende, na tragédia. 

Ainda de acordo com a jovem, em 2010 e 2016 houve deslizamentos de terra na região. Em 2010 a área foi interditada, mas a Defesa Civil não voltou mais. "Não fizeram nada. Apenas falavam que era para gente sair e mais nada", relatou.

A Prefeitura de Niterói informou que a área nunca foi diagnosticada como de alto risco. "O evento que aconteceu foi um evento de baixa previsibilidade, era difícil de prever que fosse acontecer", afirmou Wilson Giozza, do Departamento de Recursos Minerais. 

Já o prefeito Rodrigo Neves lamentou a tragédia e afirmou que as famílias atingidas serão remanejadas. "Estamos assistindo todas as pessoas. Nessa madrugada 9 pessoas dormiram no abrigo. Na terça-feira vou enviar à Câmara dos Vereadores um projeto de lei para o aluguel social para as 22 famílias do Boa Esperança. Esse é um regime de urgência. No final do ano serão entregues 200 unidades habitacionais, no Fonseca. Determinei que 17 unidades sejam entregues para as 22 famílias afetadas. Determinei prioridade", disse.

As vítimas serão enterradas neste domingo no Cemitério do Maruí, no bairro Barreto, também em Niterói. Os mortos foram identificados como Maria do Carmo, 80 anos; Maria Madalena, 56 anos; Janete, 55 anos; Amanda Tomás, 27 anos; Alan Ferreira Teles, 29 anos; Claudiomar, 37 anos; Dalvina, 66 anos; Marcks, 9 anos; Kaike, 1 ano e meio; Nicole, 10 meses e Arthur Caetano, 3 anos.

 

Últimas de Rio de Janeiro