Polícia suspeita que rapaz morto em Nova Iguaçu foi executado

Mulher e filho de cinco meses testemunharam a morte de Magno Verdam da Silva, de 27 anos, na noite desta quarta-feira

Por RAFAEL NASCIMENTO

Vítima trabalhava como autônomo
Vítima trabalhava como autônomo -

Rio - Segundo fontes da Divisão de Homicídios, Magno Verdam da Silva, de 27 anos, foi executado na noite desta quarta-feira. A princípio, falava-se que ele morreu durante um assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. A mulher e o filho de cinco meses da vítima, que estavam em um depósito, testemunharam a execução, na Rua E, no bairro Grama, por volta das 20h.

O corpo vai ser liberado em breve do Instituto Médico Legal (IML) de Nova Iguaçu. A família quer que o enterro seja no Cemitério Municipal de Nova Iguaçu na tarde desta quinta-feira ou na manhã de sexta-feira.

Um primo de 34 anos disse que Magno tinha o sonho de ser bem-sucedido e estava construindo uma casa para a mulher e o filho recém-nascido. "Não temos mais saída, a violência tomou conta de todos os lugares, inclusive dos bairros mais calmos. As autoridades tentam fazer o trabalho dela, mas não conseguem dar conta. O Magno era filho único, tinha sonho como qualquer jovem de 27 anos: ter sucesso pelo que fazia. Acabou de ter um filho e estava construindo a casa para ele e para família", desabafou. 

Familiares e amigos do autônomo lamentaram, pelas redes sociais, a morte trágica. "Palavras não podem expressar qualquer tristeza nesse momento", escreveu uma tia. "Você é um irmão que sempre pedi a Deus para ter. Essa semana estávamos marcando nossos rolês, a sua volta para o muay thai, falando dos nossos filhos... não estou nem acreditando que não vou poder falar mais com você. Obviamente estarás no céu, nos salões de Valhalla. Te amo, meu irmão", desabafou um amigo.

Últimas de Rio de Janeiro