Seis pessoas são baleadas em Belford Roxo, na Baixada Fluminense

Larissa Amanda, de 21 anos, ainda respira com ajuda de aparelhos no Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, e seu estado de saúde é grave. Já Maurício Victorio Lima, de 40 anos, está estável, mas segue internado. Outras quatro vítimas receberam alta

Por Agência Brasil

Rio - Seis pessoas foram baleadas, no final da madrugada de quarta-feira no bairro da Prata, no local conhecido como Igrejinha, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, por vários homens que passaram de carro atirando.

A Polícia Militar informou que as vítimas foram levadas para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, conhecido como Hospital da Posse. Os feridos estavam em frente a um bar, quando um carro passou em alta velocidade atirando contra as pessoas, que estavam sentadas na calçada.

Quatro feridos foram medicados e receberam alta. Maurício Victorio Lima, de 40 anos, e Larissa Amanda Espindola Lopes, 21, estavam em estado grave e na manhã desta quinta-feira, permanecem internados no Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI).

O homem está lúcido e o estado de saúde é estável. Já Larissa Amanda, ainda respira com ajuda de aparelhos e seu estado de saúde continua grave.

Policiais do 39º BPM (Belford Roxo) foram acionados para verificar o que tinha ocorrido, mas quando chegaram ao local, as vítimas tinham sido levadas para o hospital em carros particulares. Os criminosos fugiram. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) está investigando o caso.

Outra ação

No final de semana, equipes da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense realizaram a Operação Mercenários, no bairro da Prata, onde as seis pessoas foram baleadas na madrugada de quarta.

A investigação teve início após a morte de Valdemir Rodrigues de Oliveira, de 24 anos, ocorrida no dia 7 de junho . A vítima estava fornecendo informações sobre a quadrilha de milicianos que age na região para grupos rivais.

A ação teve como finalidade cumprir 22 mandados de busca e apreensão em endereços de investigados pelo crime e contou com a participação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Rio.

Na ação, foram apreendidas três pistolas, duas espingardas calibre 12; carregadores de pistola, munições de diversos calibres; calças táticas, rádios comunicadores; cadernos com anotações de cobrança de milícia, uma máquina de caça-níquel e dois veículos roubados foram recuperados na ação (Um Fiat Uno e um Gol).

Foram presos em flagrante por porte/posse de arma de fogo e munição, os milicianos Diego Henrique de Moraes, de 32 anos, Igor Alves de Souza, de 22 anos e Valmor Costa da Silva, de 28 anos. 

Últimas de Rio de Janeiro