Viúva de Marielle comemorou as prisões, mas diz que é preciso descobrir o mandante

"O mais importante não foi respondido, que é quem mandou matar a Marielle e quais foram as motivações desse crime", disse Monica Benício

Por Lucas Cardoso

Marielle Franco e Monica Benicio
Marielle Franco e Monica Benicio -

Rio - Monica Benício, viúva de Marielle, comemorou as prisões dos suspeitos de assassinar a vereadora e seu motorista, Anderson Gomes.

"Sem dúvida nenhuma esse é um passo importante nessa investigação, mas é claro que não podemos esquecer que já vai completar um ano desse crime, que é um crime político, com repercussão nacional. É tempo demais. Mas inquestionavelmente é um passo importante para que tenhamos credibilidade, esperança e fé de que a investigação está caminhando", disse Monica.

Porém, ela ressaltou que é preciso descobrir quem mandou matar Marielle.

"Precisamos lembrar também que não basta prender ratos mercenários. O mais importante não foi respondido, que é quem mandou matar a Marielle e quais foram as motivações desse crime. Não podemos aceitar qualquer desculpa de motivação banal, passional. Precisamos continuar buscando essa resposta de quem mandou", afirmou a viúva da vítima.

Monica espera que não precise esperar por mais um ano para ter essas resposta.

"Eu espero, sinceramente, que eu não precise esperar mais um ano para descobrir quem mandou matá-la. Se isso acontecer, seria mais uma agressão à democracia e contra a memória da Marielle", disse Monica, que não tem mais dúvidas da participação do chamado 'Escritório do Crime' no assassinato.

"Não há dúvidas de que existe a participação do 'Escritório do Crime', que já está mais do que revelado, que é um grupo atuante e perigosos do Rio de Janeiro, e que precisa ser desmontado. A luta pela justiça do caso da Marielle não é apenas pela memória dela, mas também pela restauração da democracia", finalizou Monica.

Viúva de motorista

À Bandnews FM, a viúva do motorista Anderson Gomes, Ágatha Reis, afirmou que a captura dos suspeitos 'tira um peso das costas às vésperas de o crime completar um ano'.

Os parentes de Marielle e Anderson terão uma reunião no Ministério Público, com as promotoras responsáveis pelo caso.

Comentários