Mais Lidas

Lessa e Queiroz acompanhavam de perto investigação, define juiz

Agentes flagraram suspeitos combinando depoimento. PM reformado depositou R$ 100 mil em dinheiro

Por ADRIANA CRUZ E MARIA INEZ MAGALHÃES

Ronnie Lessa foi preso no dia 12 março
Ronnie Lessa foi preso no dia 12 março -

Rio - Acusados dos assassinatos da vereadora Marielle Franco, do Psol, e do seu motorista Anderson Gomes, o PM reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz acompanhavam as investigações do caso na Delegacia de Homicídio. Agentes da especializada flagraram os suspeitos combinando depoimentos com suposta colaboração de PMs da ativa e possivelmente milicianos. O poder de informação dos denunciados era tanto que a Polícia Civil e o Ministério Público (MP) anteciparam em 24 horas a operação para prendê-los e cumprir mandados de busca e apreensão, que ocorreu na terça-feira. Há suspeita ainda de que Lessa fugiria para os EUA. E mais: relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificou um depósito de R$ 100 mil, em dinheiro, de Lessa feito por ele mesmo na boca do caixa de um banco, na Barra da Tijuca, no dia 9 de outubro do ano passado.

Antes de prestar novo depoimento e depois, Queiroz se reuniu com um policial e Lessa em 1º de fevereiro por mais de uma hora num bar, na Barra. Na delegacia, Queiroz revelou o encontro com o policial, mas omitiu a presença de Lessa. Já o policial, segundo o juiz do 4º Tribunal do Júri, Gustavo Kalil, "parece também ter esquecido de mencionar que, imediatamente antes de comparecer àquela especializada, encontrou-se com Ronnie Lessa. E logo após prestar declarações à Autoridade Policial, (...) retornou ao estabelecimento comercial permanecendo em companhia de Lessa por mais de uma hora, restando inconteste que o denunciado acompanha, de perto, a investigação policial do Caso Marielle", escreveu o magistrado na decisão que recebeu a denúncia do MP contra Lessa e Queiroz pelos crimes de homicídio e tentativa de homicídio contra a assessora de Marielle, Fernanda Chaves, e receptação.

OUTROS CRIMES E VIDA DE LUXO

De acordo com as investigações, o rastreamento de movimentação financeira suspeita de Lessa pode indicar a possibilidade de outros crimes estarem em andamento. O que foi decisivo para o juiz determinar o bloqueio de bens dos acusados. No inquérito, há ainda áudios que flagraram o PM e Queiroz falando sobre outras empreitadas criminosas.

Lessa mantinha uma vida de luxo incompatível com aposentadoria de sargento reformado da PM, que chegava a pouco mais de R$ 7 mil líquidos. Há informações relatadas à Justiça de que ele seria proprietário de diversas armas, dois imóveis, um avaliado em R$ 150 mil. Os agentes o fotografaram pilotando uma lancha de R$ 600 mil, que estaria em nome de laranja, em Angra dos Reis. Lessa foi preso em sua casa no Condomínio Vivendas da Barra, Barra. O mesmo onde mora o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). No local, os agentes apreenderam o carro de Lessa, um Infiniti FX35 V6 AWD blindado. O modelo custa em média R$ 120 mil. A polícia também descobriu que durante o Carnaval, Lessa teria alugado casa de luxo, além de ter outros bens em nome de 'laranjas'.

Além de patrimônio alto, Lessa também gostava de viajar. Atlanta, nos Estados Unidos, seria o destino da fuga do PM. Lá, ele ficaria na casa de um parente. "... Pois o MP noticiou suposto fluxo migratório do acusado Ronnie (...) a uma residência na cidade norte-americana de Atlanta", escreveu o juiz do 4º Tribunal do Júri, Gustavo Kalil, em um dos trechos da decisão que decretou a prisão dele. A fuga para a cidade norte-americana foi um dos motivos que levaram a Justiça a decretar a prisão do policial e a Delegacia de Homicídios e Ministério Público a anteciparem em 24 horas a Operação Buraco do Lume. Já Queiroz é réu em uma processo com indícios de participação em associação criminosa em tramitação na 32ª Vara Criminal. Ele foi expulso da PM por causa do procedimento.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários