Menino autista inspira lei contra fogos

Ideia partiu de carta escrita a mão ao prefeito. Lei Thailer foi anunciada ontem, Dia Mundial do Autismo

Por FRANCISCO EDSON ALVES

O prefeito de Vassouras, Severino Dias (PPS), homenageou Thailer (ao lado da mãe, a psicóloga Aline Alves), que inspirou lei contra fogos no município
O prefeito de Vassouras, Severino Dias (PPS), homenageou Thailer (ao lado da mãe, a psicóloga Aline Alves), que inspirou lei contra fogos no município -

Rio - Cansado de levar sustos e chorar por conta de "fogos barulhentos", Thailer Alves, de 7 anos, portador de Transtorno do Espectro Autista (TEA), de Vassouras, no Sul do estado, teve uma atitude surpreendente: escreveu uma carta a mão ao prefeito Severino Dias (PPS), pedindo a proibição de foguetes.

"Senhor prefeito, gostaria que proibisse os fogos de artifício barulhentos, porque isso me faz sentir mal e aos bichinhos também", escreveu o menino.

E deu certo. O prefeito anunciou ontem, no Dia Mundial do Autismo, o sancionamento da Lei Thailer. De autoria da vereadora Rosi Farias (Progressistas), a nova lei (3.068) proíbe a utilização, queima e soltura de fogos de artifícios, rojões, artefatos pirotécnicos e explosivos, com estampidos, em áreas públicas.

"Ele (Thailer) nos emocionou e nos incentivou a aprovação do documento", ressaltou o prefeito.

Orgulhosa, a psicóloga Aline Alves, de 38 anos, disse que o filho tem recebido muitos cumprimentos nas ruas, ao lado dela e do marido, o PM Djalma Alves, 41. "Festas de fim de ano, estudantis, religiosas, futebol, entre outras, sempre foram sinônimos de tormentos", justificou. "Agora, não vou precisar mais tapar os ouvidos", agradeceu Thailer.

A lei também proíbe a soltura de fogos de portas, janelas, terraços, terrenos ou veículos, direcionados às vias públicas. Em 30 dias, valores de multas serão divulgados.

Comentários