Assaltante sem uma perna chama atenção na web; confira outros casos!

Cena que viralizou não é caso isolado. Dois outros deficientes foram presos este ano

Por O Dia

Deficiente pulou com a arma em punho até o carro da vítima
Deficiente pulou com a arma em punho até o carro da vítima -

Rio - A rua é a João XXIII, no bairro Jardim Tropical, em Nova Iguaçu. Exatamente às 14h53 do último sábado, um Corolla prata é fechado por outros dois veículos. Um homem desarmado sai de um Onix prata e segue em direção à vítima, que, com medo, engata marcha à ré, mas não vai longe. Outro homem que não tem uma das pernas desembarca de um Creta branco. Armado com uma pistola, ele tenta render o motorista, que foge correndo. A cena inusitada foi registrada por câmeras de segurança e viralizou nas redes sociais nos últimos dois dias. O crime é investigado pela 58ª DP (Posse). Ontem, um novo desfecho: segundo policiais do 41º BPM (Irajá), o suspeito de uma perna só foi baleado, provavelmente em nova tentativa de assalto.

Não é a primeira vez que a polícia precisa lidar com esse tipo de situação. Levantamento de O DIA identificou pelo menos seis crimes ou suspeitas em que um dos envolvidos tinha o mesmo tipo de deficiência. O mais recente deles teve a participação do sargento reformado Ronnie Lessa. Preso este ano, ele é acusado de ser o autor dos disparos que mataram a vereadora Marielle Franco e o motorista dela, Anderson Gomes. Lessa perdeu uma perna há dez anos, em um ataque a bomba ocorrido a poucos metros do 9ª BPM (Rocha Miranda), na Zona Norte do Rio.

Outros casos

Transmitida ao vivo, a megaoperação para a retomada do Complexo do Alemão, em 2010, gerou uma fuga em massa dos traficantes locais. Um deles era Marcelo da Silva Soares, o Macarrão. Durante anos, o traficante comandou o tráfico de drogas da Favela de Antares, em Santa Cruz, na Zona Oeste, e da Favela do Mandela, na Zona Norte. Durante a ocupação, a Polícia Civil encontrou a prótese usada pelo traficante. Macarrão foi preso, em agosto de 2011, por policiais da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), em Manguinhos, com outros quatro chefes da mesma facção.

Morto em 2014 após um confronto com policiais do 27º BPM (Santa Cruz), Luiz Antonio de Andrade, o 'Toinho Perneta', era responsável pelo tráfico de crack na Favela de Antares. Uma de suas bases também era a Favela do Mandela, antes da ocupação pela PM, em 2012. Toinho fazia parte do grupo de 15 acusados de participação no resgate de Diogo de Souza Feitoza, o DG, na 25ª DP (Engenho Novo), em julho de 2012.

Os três Pernetas

Outros três bandidos fazem parte da lista. Todos conhecidos pelo apelido 'Perneta'. Em fevereiro deste ano, Janderson Araújo Lucas Cecílio foi preso por policiais militares que faziam patrulhamento em Realengo, na Zona Oeste. O bandido seria gerente do tráfico de drogas na localidade do Fumacê, no mesmo bairro.

Já João Paulo Correa Leite, que perdeu a perna direita após ser baleado durante um confronto com a polícia, foi preso em maio de 2015, por policiais da 78ª DP (Fonseca). Ele é investigado por suspeita de envolvimento em pelo menos quatro homicídios, todos ligados ao tráfico de drogas, na Teixeira de Freitas, em Niterói.

O caso mais antigo levantado por O DIA foi de Osmar Francisco dos Santos Ribeiro, executado em agosto de 2006, por bandidos da sua própria facção, numa disputa por uma boca de fumo. Sua morte aconteceu na favela do Batan, em Realengo. Como lembrança do criminoso, seus antigos aliados levaram a perna mecânica de Osmar.

Comentários