Massacre de Realengo é lembrado com ato contra bullying no Rio

Evento foi realizado pela Associação Anjos de Realengo, que é composta por parentes das vítimas do massacre

Por Agência Brasil

Rio - O massacre de Realengo, quando um atirador entrou na Escola Municipal Tasso da Silveira e matou 12 estudantes em abril de 2011, foi lembrado neste domingo (7) com um ato no colégio da zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, onde ocorreu a chacina. O ato lembrou também o Dia Nacional de Combate ao Bullying.

Parentes e amigos das vítimas do massacre se reuniram na Rua General Bernardino de Matos, que fica em frente à escola, onde foi montado um palco e foram realizadas atividades culturais e de conscientização sobre o bullying, que é a prática de atos de intimidação e violência física ou psicológica, geralmente em ambiente escolar.

O evento foi realizado pela Associação Anjos de Realengo, que é composta por parentes das vítimas do massacre.

Os assassinatos ocorreram em uma manhã de quinta-feira, 7 de abril de 2011, quando Wellington Menezes de Oliveira, um ex-aluno da Tasso da Silveira, entrou armado no colégio e atirou contra vários estudantes. Além dos 12 mortos, 13 adolescentes entre 12 e 14 anos ficaram feridos.

O massacre foi interrompido por uma equipe da Polícia Militar, que foi chamada para o local. O atirador foi ferido em uma troca de tiros com um sargento policial militar e acabou se matando, de acordo com a versão oficial do caso.

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro