'Vão estudar, vocês são um bando de idiotas inúteis', dispara deputada para alunos da Uerj

Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) discute projeto que pede a instalação da CPI das Universidades estaduais

Por Maria Luisa de Melo

Alana Passos disse que indicação foi de outro deputado da legenda
Alana Passos disse que indicação foi de outro deputado da legenda -
O polêmico projeto de resolução 111/ 2019, que visa a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar supostas irregularidades nas três universidades estaduais do Rio - Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), Uenf (Universidade Estadual do Norte Fluminense) e Uezo (Centro Universitário estadual da Zona Oeste) lotou as galerias e o plenário da Alerj nesta quinta-feira (30).
Correligionários do autor do projeto, o deputado Alexandre Knoploch (PSL), foram chamados de "milicianos", enquanto discursavam. Em suas falas, atacaram a reserva de vagas para alunos da rede pública, da qual as universidades estaduais são pioneiras.
A deputada Alana Passos (PSL) usou seu exemplo pessoal para minimizar a importância da reserva de vagas. Disse que é filha de negro, nascida na Baixada Fluminense e passou em concurso público para o Exército Brasileiro. 
"Qual é a cota que eu tenho direito?", questionou em direção às duas galerias onde estavam alunos das universidades estaduais. Ao ser vaiada, disparou: "Vão estudar, vocês são um bando de idiotas inúteis". 
Opositores do projeto acusam o PSL, de Jair Bolsonaro, de tentar destruir as universidades públicas estaduais. 
O deputado Waldeck Carneiro (PT) discursou contrariamente ao projeto e exaltou a importância das três instituições de ensino público superior para o desenvolvimento científico do estado.
"O projeto de resolução é claramente inconstitucional e gravoso para o regimento da Casa. Não há nenhum fato específico mencionado nele. Fala de irregularidades de forma leviana. Porque o correto seria apurar fatos, se houvesse. Mas não tem um fato específico, determinado. Já parte do pressuposto de que existem irregularidades. É uma proposta de CPI claramente equivocada". 
A deputada Enfermeira Rejane (PC do B) discursou no mesmo sentido. "Precisamos ganhar as ruas. É necessário que a população se manifeste que não está satisfeita com a política econômica desse estado. Precisamos nos manifestar contrariamente. Vamos ganhar essa luta, porque a luta é por uma universidade que garante aos seus cidadãos uma educação de qualidade".
O projeto de resolução, para a criação da CPI, recebeu 31 emendas e será votado na próxima quarta-feira (5). Caso aprovado, a Comissão será criada e 
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários