Lixo aumenta riscos de desabamento em morros

Especialistas indicam a necessidade de fiscalizações e ações de prevenção

Por Marina Cardoso

Encosta do Morro Pavão-Pavãozinho exibe lixeira, na Zona Sul
Encosta do Morro Pavão-Pavãozinho exibe lixeira, na Zona Sul -

Rio - Vistas do alto, as encostas do Rio exibem descartes irregulares de lixo que podem provocar tragédias em dias de chuva forte. O alerta foi feito pelo biólogo Mário Moscatelli, que num sobrevoo recente flagrou detritos acumulados na área do Morro Pavão-Pavãozinho, na Zona Sul, e no Morro do Turano, no Rio Comprido, Zona Norte. O despejo de dejetos e aterro foi apontado pela Geo-Rio como causa direta do escorregamento que derrubou o teto do Túnel Acústico, na Gávea, no último dia 17.O laudo do acidente, porém, ainda não foi concluído.

"O acúmulo de resíduos torna as encostas ainda mais instáveis. O Rio já viu que esses lixo despejado de forma irregular pode trazer grandes estragos para quem vive nos morros e no entorno desses lixões", explica o biólogo. 

Para a engenheira da Escola Politécnica da UFRJ Alessandra Conde, os últimos acidentes ocorridos na cidade mostram a necessidade de mais investimentos na fiscalização e em ações educativas. "Planejamento do uso do solo e planos preventivos e de contingenciamento são necessários para que novos riscos não se instalem.Atividades educativas ajudam a identificar os elementos em risco, entender como todos devem se comportar diante de uma situação de alerta de desastre", explica. 

Em nota, a Comlurb informou que faz regularmente limpeza de encostas com uma equipe de garis alpinistas. A companhiada diz que, no Pavão-Pavãozinho, a coleta é diária, e a do Turano é realizada três vezes por semana. Já a Fundação Geo-Rio disse que faz monitoramento regular das encostas, com prioridade para os locais que possuem construções irregulares.  

Com a Avenida Niemeyer fechada depois dos escorregamentos das encostas, moradores das comunidades do Vidigal e Chácara do Céu esperam entregar, hoje, ao prefeito Marcelo Crivella abaixo-assinado com mais de 5 mil assinaturas que reivindica melhoria nos acessos à região. No documento, moradores reivindicam micro-ônibus entre a entrada do Vidigal e o metrô Antero de Quental, no Leblon; a volta das vans até o shopping Rio Sul e o aumento de ônibus para o Jardim Botânico e Botafogo.

 

Comentários