Declaração de Neymar vira nome de operação policial: 'Saudades do que ainda não vivemos'

Objetivo da ação era apurar pessoas supostamente envolvidas com facção criminosa

Por Meia Hora

A medida de prevenção envolveu 30 policiais
A medida de prevenção envolveu 30 policiais -
Rio - A 107ª polícia civil e o 38º Batalhão da Polícia Militar, realizaram na última quarta-feira, uma operação em Paraíba do Sul que recebeu o nome de 'Saudade do que ainda não vivemos'. Ao invés de realizar prisões, o objetivo da ação era apurar pessoas de fora da cidade possivelmente ligadas a uma facção criminosa que estavam sendo vistas na localidade conhecida como Ladeira Curupati. 
De acordo com a Polícia Civil, foi uma medida de prevenção que teve 30 policiais para impedir crimes como homicídios e tráficos de drogas antes mesmo que os delitos ocorram. "As diligências tiveram êxito, os jovens foram devidamente identificados e foram conduzidos à unidade policial, onde narraram que já estão indo embora de Paraíba do Sul", contou a polícia, explicando que a operação foi batizada assim por se uma ação de cunho preventivo, para impedir episódios que poderiam ser vivenciados na cidade caso essas medidas não fossem adotadas.
A frase da operação também faz referência ao suposto caso de estupro envolvendo o atacante Neymar. Em conversa com a mulher que o acusou, há uma mensagem do atleta em que diz: "Saudades do que não vivemos ainda".