Atividades gratuitas celebram os 211 anos do Jardim Botânico do Rio

O evento teve um esquete do fundador do (JBRJ), D. João VI, contando a história do Instituto de Pesquisas

Por Agência Brasil

Jardim Botânico
Jardim Botânico -
Rio - O Jardim Botânico do Rio (JBRJ) completou, nesta quinta-feira, 211 anos. Para celebrar esta data, no local foram feitas diversas atividades gratuitas. Entre elas, o evento teve um esquete do fundador do (JBRJ), D. João VI, contando a história do Instituto de Pesquisas, que reuniu visitantes e alunos de uma escola da rede pública de ensino.
Além do esquete, a celebração também incluiu sorteio de plantio, atividades culturais e uma visita a exposição Herbário: coleção e ciência. Os sorteados poderão acompanhar ao longo dos anos o crescimento da planta, deixando um legado para as futuras gerações.
Fundado no dia 13 de junho de 1808, a partir da decisão do príncipe regente português de instalar no local uma fábrica de pólvora e um jardim para aclimatação de espécies de outras partes do mundo, o Jardim Botânico tem uma área de visitação de 54 hectares, ou 540 mil metros quadrados.

Hoje, o Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, nome que recebeu em 1995, é um órgão federal vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. Possui 7 mil exemplares de 2,5 mil espécies de plantas. A diretora de Conhecimento e Tecnologia da instituição, Lídia Vales, explica que espécies ameaçadas de extinção na natureza podem ser encontradas entre os itens que compõem a coleção viva do Instituto.
"Um diferencial do Jardim Botânico do Rio de Janeiro é que você tem espécies de muitas partes do mundo. Então isso é um valor que os canteiros têm. E cada vez mais a coleção do Jardim Botânico cresce com as espécies ameaçadas de extinção, com isso você garante a existência dessa espécie, está aqui no Jardim Botânico, caso seja extinta na natureza".
Símbolo do local, a alameda principal, com imponentes palmeiras imperiais, chama a atenção de quem passa pela Rua Jardim Botânico número 1.008, na zona sul da cidade. A diretora destaca que o espaço, um dos mais importantes centros de pesquisa mundiais na área de botânica, é um “oásis urbano” que convida o visitante a passear pelo amplo parque, integrado com a floresta.

"O Jardim Botânico do Rio de Janeiro é um instituto de pesquisa botânica, isso aqui é uma coleção viva, que tem valor patrimonial e científico. O Jardim Botânico é um oásis dentro do urbano, tem essa característica que eu acho muito interessante, ele está pressionado pelo urbano, mas é uma intermediação com o Parque Nacional da Tijuca. As pessoas vêm aqui e ficam encantadas", explicou. O Jardim Botânico do Rio recebe em média 600 a 650 mil visitantes por ano.

Comentários

Atividades gratuitas celebram os 211 anos do Jardim Botânico do Rio O Dia - Rio de Janeiro

Atividades gratuitas celebram os 211 anos do Jardim Botânico do Rio

O evento teve um esquete do fundador do (JBRJ), D. João VI, contando a história do Instituto de Pesquisas

Por Agência Brasil

Jardim Botânico
Jardim Botânico -
Rio - O Jardim Botânico do Rio (JBRJ) completou, nesta quinta-feira, 211 anos. Para celebrar esta data, no local foram feitas diversas atividades gratuitas. Entre elas, o evento teve um esquete do fundador do (JBRJ), D. João VI, contando a história do Instituto de Pesquisas, que reuniu visitantes e alunos de uma escola da rede pública de ensino.
Além do esquete, a celebração também incluiu sorteio de plantio, atividades culturais e uma visita a exposição Herbário: coleção e ciência. Os sorteados poderão acompanhar ao longo dos anos o crescimento da planta, deixando um legado para as futuras gerações.
Fundado no dia 13 de junho de 1808, a partir da decisão do príncipe regente português de instalar no local uma fábrica de pólvora e um jardim para aclimatação de espécies de outras partes do mundo, o Jardim Botânico tem uma área de visitação de 54 hectares, ou 540 mil metros quadrados.

Hoje, o Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, nome que recebeu em 1995, é um órgão federal vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. Possui 7 mil exemplares de 2,5 mil espécies de plantas. A diretora de Conhecimento e Tecnologia da instituição, Lídia Vales, explica que espécies ameaçadas de extinção na natureza podem ser encontradas entre os itens que compõem a coleção viva do Instituto.
"Um diferencial do Jardim Botânico do Rio de Janeiro é que você tem espécies de muitas partes do mundo. Então isso é um valor que os canteiros têm. E cada vez mais a coleção do Jardim Botânico cresce com as espécies ameaçadas de extinção, com isso você garante a existência dessa espécie, está aqui no Jardim Botânico, caso seja extinta na natureza".
Símbolo do local, a alameda principal, com imponentes palmeiras imperiais, chama a atenção de quem passa pela Rua Jardim Botânico número 1.008, na zona sul da cidade. A diretora destaca que o espaço, um dos mais importantes centros de pesquisa mundiais na área de botânica, é um “oásis urbano” que convida o visitante a passear pelo amplo parque, integrado com a floresta.

"O Jardim Botânico do Rio de Janeiro é um instituto de pesquisa botânica, isso aqui é uma coleção viva, que tem valor patrimonial e científico. O Jardim Botânico é um oásis dentro do urbano, tem essa característica que eu acho muito interessante, ele está pressionado pelo urbano, mas é uma intermediação com o Parque Nacional da Tijuca. As pessoas vêm aqui e ficam encantadas", explicou. O Jardim Botânico do Rio recebe em média 600 a 650 mil visitantes por ano.

Comentários