Políticos e religiosos lamentam a morte de marido de Flordelis

Governador do Rio, Wilson Witzel, disse que crime será investigado com rigor. A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, se disse "profundamente chateada"

Por RAFAEL NASCIMENTO

Pastor Anderson Carmo, marido da deputada Flordelis, foi executado em casa em Niterói
Pastor Anderson Carmo, marido da deputada Flordelis, foi executado em casa em Niterói -
Rio - Na madrugada deste domingo, o pastor Anderson do Carmo, marido da deputada federal Flordelis (PSD), foi assassinado a tiros dentro de casa. A notícia gerou comoção entre políticos e religiosos. Alguns deles, usaram as redes sociais para expressar a tristeza pela morte. O governador do Rio, Wilson Witzel, também se pronunciou e disse que crime será investigado com rigor.
O senador Arolde de Oliveira (PSD) esteve na casa de Flordelis para prestar solidariedade à parlamentar e seus filhos. "Ele foi um homem que sempre se dedicou. Todos nós acompanhamos a sua vida, focado no social e na inclusão dos desfavorecidos. Não temos informações sobre o que aconteceu. No entanto, essa é uma perda muito grande para nós", disse Oliveira. "A família brasileira perde. A igreja perde um pastor abençoado", completou.

Segundo Arolde, Anderson "era um dos motores da reorganização do partido no Rio". Essa é uma perde irreparável. O meu partido, PSD, está muito triste. Ele era o secretário geral do PSD no Rio. Lá em Brasília ele conquistou o carinho de todos os parlamentares", finalizou o senador.

Quem esteve, também, na residência foi o deputado federal Otoni de Paula (PSC). "(Ele) era uma pessoa muito ativa no mandato da esposa e na Frente Parlamentar Evangélica, em Brasília. São coisas que infelizmente acontece. Precisamos ter paciência nessas horas, porque vão aparecer muitas histórias truncadas. Mas no final a verdade prevalecerá”, disse. O deputado estadual Jorge Felippe Neto (PSD) também esteve no local.
A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, se disse "profundamente chateada":

O pastor Silmar Coelho, da Igreja Metodista Wesleyana, de Parque Vitória, em São Paulo afirmou que a morte atinge a igreja de Cristo:
A deputada federal Jandira Feghali, do PCdoB, prestou solidariedade à família do pastor:

Wilson Witzel, governador do Rio pelo PSC, informou que o crime será investigado com rigor pela polícia:
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), filho de Jair Bolsonaro, também se pronunciou sobre a morte de Anderson. No Twitter, o parlamentar lamentou o assassinato. "Triste notícia neste domingo... Lamento a morte do Pastor Anderson Carmo, amigo de futebol em Brasília. Fica a imagem de um homem gente fina e que se dava bem com todos. Que Deus conforte a colega Deputada @Flordelismk e a família neste momento difícil".
David Miranda, deputado federal do Psol-RJ, classificou o crime como brutal e covarde.