'Tem muito sensacionalismo em cima disso tudo', diz Flordelis sobre prisão dos filhos

Parlamentar deu entrevista antes de filho confessar crime e acusar irmão

Por O Dia

Flordelis é missionaria evangélica, cantora e deputada federal
Flordelis é missionaria evangélica, cantora e deputada federal -
Rio - A deputada federal Flordelis (PSD-RJ) comentou sobre o assassinato do marido e sobre as prisões dos filhos Lucas dos Santos, de 18 anos, e Flávio dos Santos Rodrigues, 38 anos, nesta segunda-feira logo após o enterro do pastor Anderson do Carmo, que foi executado em casa em Niterói, Região Metropolitana. "Tem muito sensacionalismo em cima disso tudo", afirmou a parlamentar ao site "Pleno.News". A declaração foi anterior a Lucas confessar que matou o pai e acusar Flávio de encomendar o crime. 
Sobre a ação dos investigadores, Flordelis diz que "a polícia queria aparecer”. "Minha filha conta que os mesmos policiais que levaram meu filho também estavam na cerimônia de velório em nossa igreja na noite anterior. Por que não agiram naquele momento, mas só no enterro? Vou avaliar tudo isso e vou entrar com uma ação com tudo o que for cabível", disse ao site. 
A parlamentar ainda afirmou que não foram disparados 30 tiros contra o marido. "É uma inverdade. Nós ouvimos apenas seis tiros. Estão falando em 30 tiros, 60 tiros. E vão inventando", destacou. "Nós fizemos a foto da localização marcada de todos os projéteis encontrados pela perícia. E não passam de oito. E agora também estão dizendo que meu marido estuprava os filhos, que era pedófilo. Quanta mentira", completou. 
Ao site, Flordelis também falou sobre as declarações do governador Wilson Witzel que mencionou durante um evento, na manhã de ontem, que a suspeita da Polícia Civil para o crime era que um dos filhos adotivos do casal teria cometido o crime. "Na verdade, eles querem achar algo, querem resolver o caso, já que o da Marielle não foi resolvido. Não só o da Marielle. Aponte pra mim crimes no Rio de Janeiro que foram resolvidos. E eu sou uma pessoa pública, não sou só uma deputada federal, sou de uma grande igreja, sou uma cantora gospel e de uma grande gravadora e o governador achou de me pegar como bode expiatório para dar uma resposta à população porque ele está sendo cobrado", ressaltou ao "Pleno.News". 
Procurado pelo DIA, o governador do estado não havia comentado sobre as declarações da cantora gospel até a publicação desta reportagem. 

Comentários