Oficiais da PM são condenados por fraudes na aquisição de material hospitalar

Neste processo, eles respondem por fraudes no Fundo de Saúde da Polícia Militar (Fuspom) e por desvio de mais de R$ 400 mil com a compra fraudulenta de 71.500 mil litros de ácido paracético

Por O Dia

Rio - Seis oficiais da Polícia Militar foram condenados pelo Conselho Especial de Sentença da Auditoria da Justiça Militar do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro a penas que variam de três a 12 anos de prisão. Entre os condenados está o coronel Ricardo Coutinho Pacheco, ex-chefe de Estado Maior da corporação, que em janeiro foi absolvido em outro processo envolvendo as fraudes na aquisição de material hospitalar para os hospitais da PM.

Neste processo, os oficiais respondem por fraudes no Fundo de Saúde da Polícia Militar (Fuspom) e por desvio de mais de R$ 400 mil com a compra fraudulenta de 71.500 mil litros de ácido paracético - produto químico utilizado na limpeza de material hospitalar.

O material, nunca entregue ao Hospital Central da PM, foi comprado da empresa Medical West Comércio de Produtos Médico Hospitalares no período entre março e maio de 2014. No total, a fraude teria custado mais de R$ 4 milhões ao Fuspom. 

Além de Ricardo Coutinho, foram condenados os coronéis Kleber dos Santos Martins, ex-diretor geral de Administração e Finanças da PM, e Décio Almeida da Silva, ex-gestor da Diretoria Geral de Saúde; e os majores Sergio Ferreira de Oliveira, Delvo Nicodemos Noronha e Helson Sebastião Barboza dos Prazeres.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários