Vítimas deram entrada na UPA da Vila Kennedy - Arquivo/ Reprodução do Facebook Padre Miguel News
Vítimas deram entrada na UPA da Vila KennedyArquivo/ Reprodução do Facebook Padre Miguel News
Por Bruna Fantti
Rio - O aumento da movimentação de traficantes armados na Vila Kennedy é exibida nas redes socais da comunidade. De acordo com o delegado Marcus Amim, titular da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos, há a informação de um reforço de 40 fuzis no local. “É um armamento da caixinha do CV, bem como de mão de obra de outras comunidades pertencentes à mesma facção, para tomar o controle de algumas comunidades das redondezas”, disse o delegado.
A chamada ‘Caixinha do Comando Vermelho’ é um esquema em que a quadrilha empresta armas para promover invasões. Segundo um informe de inteligência da Polícia Militar, ao qual O DIA teve acesso, no dia 16 de junho, houve uma tentativa mal-sucedida de invasão de traficantes dessa facção na Favela 48 e em Santo André, em Bangu, na Zona Oeste, ambas do Terceiro Comando Puro. “O grupo do CV seria composto por traficantes da Vila Kennedy, Nova Holanda(Maré) e Complexo do Alemão. Há a possibilidade de novos confrontos”, diz trecho do documento. A PM reforçou a segurança na área.
Publicidade
O Disque-Denúncia informa que o chefe do tráfico da Vila Kennedy é Leonardo Farinazo Pampuri, o Léo Barrão. Ele chegou a ser preso em 2012, mas foi beneficiado com um saída extramuros e está foragido. Uma das suas últimas aparições foi em 2017, quando atirou contra a base de uma UPP no Complexo do Alemão.
A Vila Kennedy voltou a ter um cenário de instabilidade desde a saída dos militares que ocuparam o local durante a Intervenção Federal, em 2018. Com a extinção da UPP, o policiamento passou a ser de responsabilidade do 14ºBPM (Bangu), que sofre com o déficit de agentes. Segundo o Ministério Público Estadual o efetivo ideal para a região seria de 1.470 policiais, mas há somente cerca de 500.
Publicidade
Em junho do ano passado, as primeiras barricadas começaram a ser observadas. De acordo com o site Onde Tem Tiroteio, a Vila Kennedy lidera o ranking com disparos de arma de fogo no estado. No primeiro semestre desse ano foram 191. A comunidade também foi o bairro com o maior número de feridos por arma de fogo durante este semestre: 17 no total.