Moradores sofrem com alagamentos e disputam espaço com lixo em Anchieta

Em dias de chuva, a situação fica ainda mais complicada

Por O Dia

Lixo e entulho tomam conta da calçada na Rua Cardoso de Castro
Lixo e entulho tomam conta da calçada na Rua Cardoso de Castro -
Andar na calçada e atravessar a rua são tarefas simples. Mas em algumas vias de Anchieta, Zona Norte do Rio, é quase impossível. Em dias de chuva, a situação fica ainda mais complicada.
Uma das vias mais movimentadas do bairro, a Estrada Marechal Alencastro, sofre com alagamentos sempre que chove. "Já fiquei ilhada, presa no mercado, porque a rua ficou inundada. Tive que esperar a água baixar", conta Evelyn Genovez, 36.
Um dos pontos mais críticos é o túnel que liga os dois lados do bairro. "Fica cheio d'água. Para atravessar é preciso andar muito e acessar a passarela. Somos obrigados a dar uma volta enorme. Moro aqui há 25 anos e até hoje nenhuma providência foi tomada. A prefeitura simplesmente nos esqueceu, estamos abandonados", reclama Mario Pinto, de 69.
Perto dali, na Avenida Nazaré, pedestres têm dificuldade para atravessar a via. Falta um sinal de trânsito. E quem mais sofre com a situação são os cadeirantes, já que no local tem a Sociedade Beneficente de Anchieta (ABA). "Já presenciei uma mãe aguardar cerca de 20 minutos para conseguir atravessar com o filho cadeirante. É muito difícil, eles têm que contar com a boa vontade dos motorista, que é uma coisa muito rara", lamenta a assistente social Maria Cristina Callegário, de 47 anos.
Há dois anos, a assistente social Marta Barbosa, de 50, luta para que um semáforo seja instalado na avenida. "A ideia é um sinal com botão para acionar, que evitaria que os veículos parassem se não houvesse alguém para atravessar a rua. Mas atenderia quando um cadeirante, um pai com filho no colo ou outro usuário precisasse atravessar. Há outros sinais na via, mas é distante para quem tem deficiência. Já teve caso de um cadeirante empurrando outro em meio aos veículos. Gostaríamos que a CET-Rio se sensibilizasse com a situação. Já veio um técnico aqui mas não tivemos resposta", conta.

Na Rua Cardoso Castro, o problema é o lixo. A calçada virou depósito e o pedestre perdeu espaço. "Não tem como passar, é horrível. Às vezes, os moradores tentam resolver colocando fogo, mas piora a situação, porque fica um cheiro sufocante", critica Marcele de Freitas, 27.
O QUE DIZ A PREFEITURA
A Secretaria de Conservação e Meio Ambiente informou que uma equipe vai verificar os alagamentos da região. Em relação ao lixo, a Comlurb garantiu que faz trabalho de remoção constantemente na Rua Cardoso Castro e que está estudando a construção de um jardim para inibir o vazamento ilegal.
Já a CET-Rio informou que é necessário ajustes na geometria no local para a implantação de sinalização semafórica. E afirmou que já despachou documento referente à solicitação, que será devidamente implantada.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Lixo e entulho tomam conta da calçada na Rua Cardoso de Castro Luciano Belford/Agência O Dia
Lixo e entulho tomam conta da calçada na Rua Cardoso de Castro. A opção é se arriscar entre os veículos ou caminhar no meio da sujeira fotos Luciano Belford
Lixo e entulho tomam conta da calçada na Rua Cardoso de Castro Luciano Belford/Agência O Dia
Sem semáforo, pedestres, principalmente cadeirantes, têm dificuldades para atravessar na Av. Nazaré Arquivo pessoal

Comentários