Passageiros são feitos reféns durante sequestro a ônibus na Ponte Rio-Niterói

Veículo ficou parado na altura do Vão Central da via expressa, no sentido Rio, cercado por policiais

Por RAI AQUINO , JESSYCA DAMASO e THUANY DOSSARES

Suspeito de ser o sequestrador deixa o veículo
Suspeito de ser o sequestrador deixa o veículo -
Rio - Passageiros que estavam em um ônibus da viação Galo Branco foram mantidos reféns por um homem armado, na manhã desta terça-feira, na Ponte Rio-Niterói. O veículo ficou parado na altura do Vão Central no sentido Rio da via expressa. O sequestro foi de cerca das 5h30 até por volta das 9h, após o criminoso ser atingido por um atirador de elite da PM.
As negociações para a libertação dos reféns foram feitas pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). Os agentes se comunicaram com o homem através de um celular entregue a ele. Atiradores de elite da PM estavam posicionados em direção ao ônibus.
Durante o sequestro seis dos 39 reféns (quatro mulheres e dois homens) foram liberadas. A última a deixar o ônibus saiu passando mal e precisou de atendimento médico. O ônibus sequestrado é da linha 2520 (Alcântara x Estácio). 
 

Galeria de Fotos

Homem faz passageiros reféns dentro de um ônibus na Ponte Rio-Niterói Reprodução/OTT-RJ
Homem faz passageiros reféns dentro de um ônibus na Ponte Rio-Niterói Reprodução/OTT-RJ
Homem faz passageiros reféns dentro de um ônibus na Ponte Rio-Niterói Reprodução/OTT-RJ
Homem faz passageiros reféns dentro de um ônibus na ponte Rio-Niterói Reprodução/OTT-RJ
Passageiros desceram dos ônibus que ficaram bloqueados para chegarem ao Rio de outra forma Jessyca Damaso / O DIA
Um dos acessos à Ponte Jessyca Damaso / O DIA
Foram registrados congestionamentos quilométricos no Rio e em Niterói devido ao fechamento da Ponte Jessyca Damaso
Com o sequestro da Linha 2520, motoristas ficaram retidos por mais de três horas nos dois sentidos da via Cadu Bruno
Pinta sentido Niterói Cadu Bruno / Agência O DIA
Suspeito de ser o sequestrador deixa o veículo Reprodução / TV Globo
Passageiros desceram de outros ônibus para voltarem a pé a Niterói Jessyca Damaso / Agência O DIA
Passageiros desceram de outros ônibus para voltarem a pé a Niterói Jessyca Damaso / Agência O DIA
Marinete Oliveira da Silva estava vindo de Arraial do Cabo para o Hospital dos Servidores Jessyca Damasio / Agência O DIA
Sequestro começou no fim da madrugada Reprodução / Internet
Veículo está cercado por policiais Reprodução / TV Globo
Veículo está cercado por policiais Reprodução / TV Globo
O sequestro ao ônibus da viação Galo Branco chegou ao fim por volta das 9h desta terça-feira Reprodução / TV Globo
Veículo está no Vão Central da Ponte Reprodução / TV Globo
De acordo com a porta-voz da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Sheila Sena, o sequestrador estava com uma faca, uma arma de choque e gasolina. Em um dos momentos do sequestro foi possível ver o homem abrindo a porta do ônibus e jogando um material inflamável em direção aos agentes.
"A principio, ele se diz policial militar e ainda estamos em negociação para poder liberar mais reféns, porque não sabemos ainda qual o real propósito dele nessa questão", disse a porta-voz da PRF, em entrevista à TV Globo. "Foi algo premeditado. Ou seja, ele tinha instrumentos para fazer coquetel molotov, para imobilizar as vítimas", informou o porta-voz da PM, o coronel Mauro Fliess.
Por volta das 8h40, o governador Wilson Witzel (PSC) se manifestou em seu perfil no Twitter sobre o sequestro.
"Estou acompanhando desde cedo, com atenção, o sequestro do ônibus na ponte Rio Niterói. Estou em contato direto com o comando da Polícia Militar, que trabalha para encerrar o caso da melhor maneira possível. A prioridade absoluta é a proteção dos reféns", postou.
Procurada pelo DIA, a viação Galo Branco informou, por meio de nota, "que está acompanhando com apreensão o desenrolar do sequestro da sua linha Alcântara × Estácio, oferecendo às autoridades de segurança todas as informações possíveis para que tudo se resolva da melhor forma".
INTERDIÇÕES
Por causa sequestro, o trânsito em direção à capital fluminense foi totalmente fechado. No sentido Niterói, o tráfego chegou a ser bloqueado parcialmente para a implantação de uma faixa reversível.
Ambulâncias da Ecoponte, concessionária da via, e veículos do Corpo de Bombeiros também estiveram na região. Barcos da Marinha e dos Bombeiros apoiaram a ação de dentro da Baía de Guanabara.
PASSAGEIROS ANDANDO
Como a pista sentido Rio da Ponte está fechada por causa do sequestro, diversos passageiros de outros ônibus que ficaram bloqueados desceram dos veículos. Eles andam a pé em direção a Niterói para tentarem outro trajeto para chegar ao Rio.
Um veículo da viação 1001 retornou totalmente vazio depois que os passageiros saíram dele.
PACIENTES ILHADOS
Em um dos acesso à Ponte, uma van da Prefeitura de Arraial do Cabo ficou parada com pacientes do município da Região dos Lagos. Eles estavam em direção ao Rio para procedimentos médicos em unidades de saúde da capital fluminense.
Uma delas, Marinete Oliveira da Silva, estava indo para Hospital de Servidores para uma a cirurgia de um tumor na cabeça. Ela tinha que chegar à unidade às 7h30. 
"Tenho até medo de vi para o Rio, porque além de eu ser hipertensa, daqui a pouco sei que não vou tá aguentando nem ficar em pé", ela disse. "Chegou no Rio já fico tensa. Já chego muito abalada. Tô aqui tentando controlar o meu organismo para não ficar ligada nisso".
Marinete Oliveira da Silva estava vindo de Arraial do Cabo para o Hospital dos Servidores - Jessyca Damasio / Agência O DIA

Comentários